Categorias

Top 3 - Destinos literários

Oi gente! Tudo bem?

Não sei vocês, mas sempre quando eu leio um livro e sei que é uma cidade real, eu sempre fico doida pra conhecer, pra visitar os locais mencionados pelos personagens, pra sentir que eu vivi alguma das muitas histórias que eu leio.

Eu tenho uma lista enorme de lugares que gostaria de conhecer, mas separei aqui os meus preferidos e os que assim que possível, eu pretendo visitar.

Vamos conhecer?

 Rosemary Beach


Sou tão apaixonada pelos livros da Abbi Glines que um dos meus sonhos é conhecer Rosemary Beach *__* Vamos conhecer um pouco mais?

Rosemary Beach fica na Flórida nos Estados Unidos, é uma cidade pequena que surgiu somente em 1995, à beira da praia. É acessível por carro ou por via aérea, já que o Aeroporto Internacional Northwest Florida Beaches fica a menos de 30 minutos da cidade.

Já quero conhecer a praia maravilhosa, ver as casas incríveis e luxuosas e também os clubes de golfe que ficam ao redor da cidade. 

Vem só dar uma olhada nessas fotos.





Escócia - Outlander

Depois que li Outlander fiquei com a ideia fixa na Escócia, comecei a assistir uma penca de histórias que se passam no país, procurei livros que se passassem na Escócia e também fiquei procurando mais informações sobre locais para visitar, o que tem pra fazer e por ai vai. 

A Escócia é um dos países que fazem parte do Reino Unido, as terras ao norte da Escócia é denominada de Highlands, é uma região montanhosa e encantadora, é o local que eu mais quero visitar no país. 

É lá também que fica o lago Ness, daquela história do monstro do lago Ness.

Já quero ver gente de kilt KKKKKKKKKKK. 

Vem dar uma olhada nessas fotos lindas. 




 

Florença - A sombra do passado

Sou louca por qualquer livro que se passe na Itália e principalmente em Florença. O meu sonho da vida é conhecer a Itália, então sempre fico louca com qualquer gostinho que eu possa ter, com a sensação de me sentir vivendo no local do livro. 

Florença é a maior cidade da região da Toscana, foi o berço do renascimento italiano e por muitos anos foi considerada a cidade referencia para o mundo da moda. Florença foi por séculos governada pela famoso família Médici ( lembro deles dos livros de história, mas principalmente pela série Reign hahahahahah)

É um destino maravilhoso e muito rico em arquitetura. Vem conferir as fotos.


























E me contem, tem algum lugar que vocês já leram nos livros e ficaram loucos para conhecer?

Resenha - Volúpia de Veludo - Loretta Chase

Ano: 2017 / Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Simon Fairfax, o fatalmente charmoso marquês de Lisburne, acaba de retornar relutantemente a Londres para cumprir uma obrigação familiar. Ainda assim, ele arranja tempo para seduzir Leonie Noirot, sócia da Maison Noirot. Só que, para a modista, o refinado ateliê vem sempre em primeiro lugar, e ela está mais preocupada com a missão de transformar a deselegante prima do marquês em um lindo cisne do que com assuntos românticos. Simon, porém, está tão obcecado em conquistá-la que não é capaz de apreciar a inteligência da moça, que tem um talento incrível para inventar curvas – e lucros. Ela resolve então ensinar-lhe uma lição propondo uma aposta que vai mudar a atitude dele de uma vez por todas. Ou será que a maior mudança da temporada acabará acontecendo dentro de Leonie? Volúpia de veludo, terceiro livro da série As Modistas, é uma história de amor envolvente, com personagens femininas fortes e determinadas que transitam com perfeição entre o romantismo e a sensualidade.

Nesse terceiro livro da série, conhecemos Leonie Noirot, a irmã que administra a Maison Noirot. Leonie sempre colocou os negócios do atelier em primeiro lugar e sua nova missão é transformar a deselegante prima do marquês de Lisburne em uma mulher desejada por todos os homens disponíveis da temporada. 

O que Leonie não esperava é que ela fosse se render aos encantos de Simon Fairfax, o marquês de Lisburne, e apesar de sempre ter o atelier como uma prioridade, ela agora terá que lidar com algo novo em sua vida. 

Adoro essa série e até o momento ela é a minha preferida da Loretta Chase, porém eu juro que esperava muito mais desse livro. Leonie era minha irmã preferida e eu estava ansiando por esse livro. Porém, apesar de ser uma leitura prazerosa, ele nem chegou perto de ser o melhor livro da série.

Leonie sempre foi uma personagem muito sensata e foi isso que me conquistou nela, ela tem o atelier como uma prioridade de vida, ela gosta de ser uma mulher independente, e é muito bom encontrar isso em livros e romances de época. 

Gostei do protagonista masculino, mas não achei nada absurdamente bom. O romance deles vai se aprofundando aos poucos e foi bem bacana acompanhar todo o desenvolvimento. Leonie foi bem relutante em admitir o amor e as vezes isso me irritava um pouquinho. 

Sou uma fã da narrativa da Loretta Chase, ela consegue tornar qualquer leitura muito prazerosa. Achei a série como um todo de uma originalidade impecável, é bem difícil encontrar romances de época em que mulheres tenham uma profissão e que não aceitem se casar e deixar a vida de lado, Loretta consegue criar enredos bem feministas em uma época nada feminista. 



Acho que o ponto que mais me incomodou no livro foi mesmo o enredo, achei que tudo acontecia de uma maneira muito devagar, parecia que Loretta estava esticando o enredo pro livro ficar maior e nem mesmo sua narrativa incrível conseguiu dar um jeito nesse enredo. O casal tinha química sim, mas ainda faltou alguma coisa, talvez um final mais bem elaborado.

Gosto do toque de investigação que Loretta coloca em seus livros, mas confesso que nesse livro eu fiquei sem entender, não vi muito sentido no problema criado e confesso que foi desnecessário um problema que não envolvesse de maneira direta a Maison Noirot, claro que o problema afetou o atelier, mas o que eu digo é que o problema não surgiu em face do atelier e somente foi uma consequência de algo. Enfim, não curti muito esse aspecto.

Novamente eu fiquei apaixonada por Lady Clara e preciso muito da história dela, estou ansiando por isso. Também gostei de Lady Gladys, acho que as duas merecem uma história só pra elas. 

A capa dessa série é maravilhosa, uma das melhores capas de romance de época que eu tenho na minha estante. Por fim, o livro apesar de um enredo fraco, conseguiu ser bom no geral, acho que a narrativa da Loretta salva tudo, isso sem falar nas personagens que são ímpares, adorei matar a saudade da Marcelline e de Sophia. Sem dúvidas as irmãs costureiras fazem parte da lista de melhores personagens de romances de época. 

A revisão ficou ótima, assim como a diagramação. 




Resenha - F*ck love - Tarryn Fisher

Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Faro Editorial

Helena Conway se apaixonou. Contra sua vontade. Perdidamente. Mas não sem motivo.Kit Isley é o oposto dela desencanado, espontâneo, alguém diferente de todos os homens que conheceu. Ele parece o seu complemento. Poderia ser tão perfeito... se Kit não fosse o namorado da sua melhor amiga. Helena deve desafiar seu coração, fazer a coisa certa e pensar nos outros. Mas ela não o faz... Tentar se afastar da pessoa amada é como tentar se afogar. Você decide fugir da vida, pulando na água, mas vai contra a natureza não buscar o ar. Seu corpo clama por oxigênio sua mente insiste que você precisa de ar. Então você acaba subindo à superfície, arfando, incapaz de negar a si mesma essa necessidade básica de ar. De amor. De desejo ardente. Você pode pensar que já viu histórias parecidas, mas nunca tão genuínas como essa. Tarryn, a escritora apaixonada por personagens reais, heroínas imperfeitas, mais uma vez entrega algo forte, pulsante, que nos faz sofrer mas também nos vicia. Depois dela, todas as outras histórias começam a parecer como contos de fadas. Se você não quer se viciar, não leia a primeira página.

Esse livro com certeza vai ficar para a história como uma das minhas leituras preferidas. Pense em uma protagonista, com o perdão da palavra, foda. 

Helena se apaixonou perdidamente por Kit. Kit é o oposto de tudo o que Helena sempre procurou nos homens, mas ainda assim eu não poderia deixar de ser mais perfeito para ela, isso se ele não fosse o namorado da sua melhor amiga, Della.

Sem perigo de spoiler, já que é a cena inicial do livro, Helena tem um sonho e depois desse sonho ela começa a mudar muitas coisas em sua vida, aquilo que ela fazia por ser o certo, começa a não parecer tão mais certo pra ela. Se antes ela pensava em ser contadora, agora ela descobriu o seu amor por artes e por ai vai. 

De logo você percebe que Kit e Della não deveriam nunca na vida, ficarem juntos. Della é uma pessoa completamente dependente dos outros e isso me irritou numa quantidade impossível descrever. Você logo percebe o seu jeito folgada e a vontade de querer que todo mundo faça o que ela quiser. Eu realmente não sei como Helena pôde se tornar amiga de uma pessoa assim. 

Helena leva uma vida acomodada, ela se apaixona pelo namorado da melhor amiga, mas não toma nenhuma atitude, só vai empurrando com a barriga, até que um dia ela tem um choque de realidade e resolve recomeçar sua vida longe da dupla Kit e Della. Ela se muda para outro Estado, começa um novo emprego e busca principalmente conhecer a nova Helena. 

Esse é um livro que principalmente fala sobre a dor do amor, a dor de perder um amor, mesmo que ele nunca tenha te pertencido. É maravilhoso acompanhar todas as descobertas que Helena faz sobre sua vida, o novo emprego que se encaixa perfeitamente com a pessoa que ela é agora, os novos amigos, a nova rotina. Ela sofre por amor e isso é o melhor do livro, é mostrar que nenhum sentimento se vai tão fácil, é preciso sentir a dor da perda pra conseguir ir em frente. 



Helena é uma personagem inspiradora, ela é corajosa, destemida e principalmente leal, aos amigos, aos seus princípios, não há traição aqui. Helena e Kit juntos me conquistou complemente, você percebe como o sentimento vai surgindo aos poucos, como eles percebem que despertam um no outro o melhor de si, mas Kit foi covarde, covarde por muitas vezes e isso me desesperou em vários momentos da leitura.

F*ck Love não é um livro sobre as maravilhas da vida, sobre como tudo pode dar certo, é um livro que vai te ensinar que nada vem fácil, que para chegar até a luz no fim do túnel é preciso passar por inúmeros obstáculos, muitas vezes bem dolorosos. É um livro inspirador e impactante, sobre amor, sobre a dor do amor, sobre descobertas, sobre atos de coragem, mas também de covardia. Tarryn Fisher mostra como todos nós podemos ser vulneráveis a dor do amor. 

Eu nem tenho palavras suficientes para expressar o quanto essa leitura foi marcante, eu tenho indicado esse livro para absolutamente todos os meus amigos. Pra quem conhece ou já conheceu o amor, essa é uma leitura obrigatória, esse livro te faz entender muitas coisas que acontecem em nossas vidas e como você deve se amar acima de tudo. 

Esse foi o meu primeiro contato com a Tarryn Fisher e confesso que já estou encantada com sua narrativa, foi uma leitura extremamente rápida e prazerosa. 

A edição e diagramação do livro é incrível, a capa me deixou sem palavras. E um adendo, esse livro faz muitas referências a Harry Potter e isso só me deixou ainda mais apaixonada por F*ck Love.

Para quem adora marcar quotes no livro, separa bastante post-it, porque aqui temos uma infinidade de frases inspiradoras. 



Resenha - Rainbow - M.S Fayes


Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Pandorga

Rainbow Walker sempre se sentiu diferente das garotas da sua idade. Com um nome peculiar e uma família estranha, ela nunca conseguiu estabelecer vínculos ou manter muitas amizades. Agora, em uma nova cidade, ela terá que se adaptar a uma nova escola e rotina, ao mesmo tempo em que precisa deixar sua introspecção de lado. Mas Rainbow não está sozinha nessa jornada, já que uma pessoa inesperada entra em seu caminho, fazendo com que ela precise rever todos os velhos preconceitos em relação aos outros, se obrigando a deixar as pessoas entrarem na sua vida.Reviravoltas, conflitos familiares e toda espécie de desventuras típicas de uma adolescente no Ensino Médio não podem competir com o que ela menos esperava encontrar: o amor e a autodescoberta.
Primeiramente já vou confessar que eu comprei o livro porque achei a capa maravilhosa. hahahaha! Sorry! mas eu sou dessas. 

O livro conta a história de Rainbow Walker, uma jovem de dezessete anos, que tem uma família um tanto quanto estranha, seus pais são hippies reais e vivem se mudando de cidade em busca de uma vida livre para os filhos, mas enquanto seus irmãos, Sunshine e Thunder Storm, sempre se adaptam perfeitamente a qualquer ambiente, Rainbow é uma pessoa mais quieta e de poucos amigos.

Sua família acaba de se mudar para uma nova cidade e ela terá que começar tudo de novo, mas dessa vez parece que as coisas serão diferentes, Rainbow conhecece Thomas Reynard e mocinho não é nada do que ela esperava, é muito mais. 



Esse é um young adult que aborda perfeitamente os dramas de uma vida adolescente, bullying disfarçado de brincadeirinhas, a dificuldade em fazer e principalmente mantes amigos, o primeiro amor, a caminhada até a faculdade, relacionamento com os pais, festas e por ai vai. A autora consegue de maneira efetiva trazer para o livro o que acontece no mundo real e os sentimentos são tão verdadeiros que o leitor acaba se envolvendo muito com o enredo.

A narrativa é feita pela Rainbow e em alguns momentos pela visão do Thomas e isso aproximou bastante o leitor.  Martinha traz uma narrativa deliciosamente viciante e por isso Rainbow é um livro de fácil e rápida leitura. Digo com propriedade que Rainbow me surpreendeu muito e não foi só um livro de capa bonita. É um livro marcante para quem ainda é adolescente ou para quem assim como eu, passou por vários problemas na adolescência, assim como a protagonista. 

Mocinhos apaixonantes como Thomas Reynard, Thunder Storm e Mike me levaram a desejar que esse livro abra caminho para o início de uma série, quero história com todos. Vilões odiosos dão aquele toque de fúria no leitor, foi impossível não se irritar com Cybella. 

Me identifico muito com a protagonista, eu e Rainbow temos muito em comum e isso foi uma dos muitos motivos para eu ter me prendido a história. Sunshine tem um espírito muito livre e ela foi uma das minhas personagens preferidas também. Fiquei chocada com a atitude dos pais de Rainbow e sinceramente, umas pessoas dessas nem merecem ter filhos e falo isso porque sei que tem gente assim na vida real. 

Por fim, só tenho a recomendar para quem assim como eu adora romances Young Adult e já aviso que você irá se viciar nessa história fantástica, assim como eu. Capa linda, história mais linda ainda. Pode se jogar com toda certeza, Rainbow foi uma surpresa muito agradável. 


Lançamentos de Julho: Editora Rocco


Oi Pessoal!!
Bora conhecer os lançamentos desse mês da Editora ROCCO e seus selos???
Confiram: