Categorias

Livros favoritos de 2017 (Parte 2).

Olá pessoas! Mais um ano se passou, e passou muito rápido, não é? Queria ter me dedicado mais aos blogs que participo, ter lido mais livros físicos. A parte um você encontra aqui. Dividirei em duas postagens, apesar que, esse ano eu fui bem seletiva nas avaliações. Dos 48 livros, 10 eu favoritei, sendo livros de séries então não sei contaria, pensando bem. PARTE 1 DA POSTAGEM.



1. Dragon Bound e Storm’s Heart (Thea Harrison):
Você conhece Thea Harrison? A conheci através do blog da Gabi (Livros e citações). A autora possui muitas séries, mas estou lendo The Elder Races, traduzindo como Raças Antigas. Amo romance sobrenatural e Thea sabe escrever e o faz muito bem. Sonho que fossem publicados no Brasil. The Elder Races é uma série de romances paranormais, um mundo onde a luz e as trevas convivem e ao mesmo tempo estão em conflito, temos fadas, a FAE, Nightkind Demonkind, Wyr que vivem, trabalham e se relacionam entre si e com seres humanos. 

Peguei um trecho do livro dois, Storm’s Heart (Coração da tempestade), onde falam um pouco das principais raças: 

(...) Havia sete territórios das raças antigas que cobriam a geografia humana dos Estados Unidos. O território Wyr, onde Dragos tinha governado por séculos com base em Nova York. A sede dos Élficos, localizada em Charleston, Carolina do Sul. O território dos Dark fae (fadas das trevas, tradução literal), em Chicago e os Light Fae (Fadas da luz, tradução literal), Los Angeles. Os nightkind, todas as formas vampíricas e os bruxos humanos. Os Demonkind, vários tipos diferentes, de Goblins e Djinn (...). 

Parece confuso, porém logo logo você pega o jeito e entende tudinho. Uma série que te prende, literalmente. Lidos: Dragon Bound, Storm’s Heart. Lerei em breve, Serpent’s Kiss. 

É uma série longa, os nove primeiros volumes pelo que entendi são dos principais e entre eles a autora lançou as “novellas” e collections. VEJA AQUI. 


2. Série Heart e Soul (Angela Verdenius):

Essa é aquela série que você NÃO JULGA pela capa. As capas são peculiares, porém o enredo é ótimo. Angela é uma autora conhecida internacionalmente e creio que algumas leitoras conheçam sua escrita por conta de outras séries. Site da autora aqui. Gostei da série pelo fato das protagonistas serem guerreiras, então estão nem aí para os boys. Ao decorrer do enredo que eles irão se conhecendo e se apaixonando. Não é aquilo, te vi e já te amo sabe.

É uma série futurística/Sci-Fi e ENORME, 18 livros até agora. Então colocarei as capas dos que li até agora:

Nesse blog você encontra a sinopse dos dois primeiros volumes. 


3. Série/trilogia Wraith Kings (Grace Davens):

Em dezembro de 2017 eu conheci a escrita de Grave Davens e sofri com a primeira e única ressaca do ano. Como dizem: Que tiro foi esse? HAHAHAHA. Como assim eu não tinha lido nada dessa mulher, sério, editoras publiquem-na! Até agora a série conta com três livros e dois contos. Não sei se a autora publicará novos livros dessa série específica. 

O primeiro livro se chama Radiance. O segundo: Eidolon. E o terceiro: The Ippos King. Eu li o primeiro livro e me apaixonei e confesso, eu estou com receio de ler o segundo. Eu sei que vou sofrer. O primeiro livro é bem introdutório, casal se conhecendo e no final tem o clímax para o próximo. Nem sei me expressar sobre sem soltar spoiler. 

Brishen Khaskem, príncipe de Kai, viveu como o herdeiro substituto na linha sucessória de um trono já predestinado a outro. Um acordo e uma aliança política entre o reino humano de Gaur e o reino de Kai-Nast Haradis requer que se case com mulher Gauri para selar o tratado. Sempre foi um filho obediente, então Brishen concorda com o casamento e descobre que sua noiva não é tão feia como esperava e mais linda do que teria imaginado.
Ildiko, sobrinha do Rei Gauri, sempre soube que seu valor para a família real era uma união estratégica. Resignada com seu destino, se horroriza ao saber que o noivo não é apenas um aristocrata estrangeiro, mas o príncipe mais jovem de um povoado pouco familiar e nem humano. Unindo seu destino com seu marido, Ildiko deixará para trás tudo o que conhece para abraçar um homem envolto em escuridão, mas com uma alma forjada pela luz.
Duas pessoas unidas pelos laços da obrigação e da política que irão descobrir estarem destinados um ao outro, assim como os poderes de um reino hostil que querem separá-los.
No goodreads é possível ver os outros livros da série e suas sinopses: aqui.



Gostou da postagem? Deixe seu comentário sobre ele. Até logo! 

Resenha - Sombrio Perdão - Melissa Marr


Ano: 2014 / Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Rocco

Último livro da série Wicked Lovely, um conto de fadas contemporâneo ambientado num mundo ao mesmo tempo fabuloso e cruel, sedutor e perigoso, Sombrio perdão leva a jornada da jovem Aislinn Foy a um desfecho emocionante. Bestseller do The New York Times, a série de Melissa Marr foi traduzida em 26 línguas e vendeu mais de um milhão de exemplares, conquistando os leitores com seu clima romântico e um tanto sombrio.





Sombrio Perdão é o último livro da série Wicked Lovely, de Melissa Marr... e posso dizer que a autora fechou perfeitamente bem essa série que encanta o leitor desde o primeiro livro. É realmente uma série incrível, uma das mais legais sobre fadas, cheia de surpresas e com uma história bem complexa. 

Nesse último livro, Keenan, o Rei do Verão, está desaparecido e a Corte Sombria tenta se recuperar de um ataque, ao mesmo tempo que um estranho ronda a cidade e oferece riscos à vida dos seres mágicos. Com Keenan desaparecido, Aislinn se tornou responsável pela Corte do Verão... mas ao mesmo tempo que cuida dela e tenta encontrar seu Rei, ela espera pela volta de Seth, que se tornou uma peça importante entre as Cortes... Ele cometeu um terrível erro e desenvolveu poderes que podem afetar muitos, mas se mantêm afastado de Aislinn para deixar que ela escolha entre ele e Keenan. E, ao mesmo tempo que tudo isso acontece, ainda tem a ameaça de Bananach, que se torna cada vez mais poderosa e torna a guerra cada vez mais iminente.




Mais uma vez eu gostei muito dos personagens... Desde o primeiro livro já dava para ver que eram bem desenvolvidos, mas a cada livro percebemos o crescimento deles, mas é em Sombrio Perdão que isso fica ainda mais aparente. Aqui cada um dos personagens terá que lidar com suas próprias responsabilidades e com os perigos que se aproximam.

Em minha concepção os que mais evoluíram foram Donia e Kenan. Kenan sempre foi um personagem muito difícil, mas acompanhar o seu amadurecimento nesse livro foi quase um presente. E Donia sempre foi uma das minhas queridinhas desde o começo, fiquei imensamente feliz com o desfecho dela. 

Apesar de preferir narrativas em primeira pessoa, a narrativa em terceira pessoa não atrapalhou a aproximação do leitor com os personagens, Melissa consegue desenvolver todos os ângulos da história e as emoções dos personagens de forma impecável.




Essa série é muito original e ousada, mas se mostrou um tanto quanto complexa, o enredo é muito bem trabalhado, instigante, cheio de surpresas e momentos de tensão. Contudo, acredito que a série tenha se estendido um pouco além do necessário. Melissa Marr criou uma trama tão intrincada, que por diversas vezes  ao longo da série eu pensei que ela iria se perder na resolução de tudo. Mas, Sombrio Perdão veio para provar que a autora sabia o que estava fazendo desde o começo. 

Como dito anteriormente, uma das melhores séries sobre fadas que eu já li, adoro todo esse universo mágico e esse foi o principal motivo para a série ter me conquistado, principalmente pelo fato de Melissa ter usado um tema batido e transformado em algo tão inovador. 

A narrativa é incrível e repleta de surpresas. Sombrio Perdão não teve a enrolação de outros livros da série, aqui só vi a autora dando um desfecho maravilhoso e levando o leitor a repensar toda a trajetória dos personagens e seus conflitos internos. 

Enfim, adorei o desfecho da série e estou ansiosa por novos livros da autora. Pra quem gosta de fantasia, Wicked Lovely é uma ótima pedida, principalmente agora que a série esta oficialmente completa no Brasil. As capas são lindas e a diagramação muito confortável. O trabalho de revisão da editora ficou ótimo. 


Resenha - A Fogueira - Krysten Ritter


Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Fábrica231

Com lançamento simultâneo no Brasil e nos EUA, A fogueira é o livro de estreia da atriz Krysten Ritter, protagonista do premiado seriado da Netflix Jessica Jones e conhecida também por seus papéis em Os defensores e Breaking Bad, entre outros filmes e séries. Na trama, Abby Williams é uma advogada de 28 anos especializada em questões ambientais. Hoje uma mulher independente vivendo em Chicago, Abby teve uma adolescência problemática numa cidadezinha no estado de Indiana que até hoje ela luta para esquecer. Mas um caso de contaminação envolvendo uma grande empresa obriga Abby a voltar à pequena Barrens e confrontar seu próprio passado. Quanto mais sua equipe avança nas investigações sobre a Optimal Plastics, mais Abby se aproxima também da verdade sobre o misterioso desaparecimento de sua antiga melhor amiga anos atrás e de outros acontecimentos até então sem resposta.

Abby é uma advogada ambiental; ela vive em Chicago, mas nem sempre viveu lá. Abby cresceu numa cidadezinha pequena chamada Barrens, da qual ela tentou se forçar a esquecer quando foi embora, mas nunca conseguiu.

Ela acaba com um caso de contaminação envolvendo uma grande empresa e se vê obrigada a voltar a Barrens... Mas as coisas acabam se mostrando mais difíceis do que ela esperava. A tal empresa é responsável pelo crescimento notável da cidade, pela geração de empregos locais, doações generosas a instituições, criação de centros comunitários... Quase a cidade toda os adora, mas eles estranhamente parecem limpos demais, e Abby sabe que tem algo além disso... algo que talvez possa envolver o desaparecimento de uma antiga amiga. 

Enquanto avança mais nas investigações, Abby vai cada vez mais se aproximando da verdade e somando as peças de um enorme quebra-cabeça complexo de montar, ao mesmo tempo que confronta o passado que ela queria tanto deixar para trás.


A Fogueira foi um livo que me despertou interesse mais pela autora do que pela trama em si. Para quem não sabe, Krysten Ritter é atriz, que ficou muito conhecida por interpretar a heroína Jessica Jones na série da Netflix. Eu gosto muito da série e da atriz, então fiquei bem curioso em saber que esse é seu livro de estreia... No fim, a leitura não foi de toda ruim, mas estou sim um pouco decepcionado.

A escrita da Krysten é simples, mas é fluída e ela soube fazer uma ambientação muito boa, o que foi um dos pontos positivos para o livro. Eu realmente me senti parte da história, tanto pela descrição dos cenários quanto pelo envolvimento pessoal da personagem com suas lembranças.

E a outra coisa que tornou o livro um pouco melhor foi olhar a história como um todo. Olhando de um ângulo mais amplo, é uma história criativa e que foge do que eu costumo ler em livros do gênero, mas que quando analisada em partes deixa a desejar em diversos pontos.


Primeiramente, não há uma explicação aprofundada na razão de Abby ir a Barrens; a desculpa da contaminação pela empresa mal é citada com detalhes... só sabemos que ela foi e pronto, temos que aceitar que ela recebeu esse caso que por coincidência é na mesma cidade que ela morava... Não achei convincente.


Segundo, Abby não é uma personagem à qual o leitor se apega. Ela não é ruim, mas nem de longe é muito carismática... Ela é impulsiva, acredita muito cegamente nas coisas... Não sei, ela também não me convenceu.

E teve muita enrolação... O livro vai se desenvolvendo num ritmo até legal, mas eu descartaria facilmente algumas cenas/memórias e desenvolveria melhor o final, que se resolveu muito facilmente nas 40 últimas páginas. O final em si é meio absurdo, mas é criativo, então ainda não sei o que pensar dele.

Realmente me decepcionei um pouco, mas dou 3 estrelas ao livro pela escrita e pela criatividade.



Resenha: A Bela e a Adormecida - Neil Gaiman e Chris Riddell


Ano: 2015 / Páginas: 72
Idioma: português
Editora: Rocco Jovens Leitores

Sinopse: Em uma sombria e fascinante história, as mais queridas princesas dos contos de fadas são reinventadas de maneira brilhante pelo inglês Neil Gaiman e o ilustrador Chis Riddell. Em A Bela e a Adormecida, uma jovem rainha é informada, na véspera de seu casamento, sobre uma estranha praga que assola as fronteiras do seu reino, um sono mágico que se espalha pelo território vizinho e ameaça os seus domínios. Na companhia de três anões, a rainha abandona o fino vestido da festa, pega sua espada e armadura e parte pelos túneis dos anões para o reino adormecido. Uma viagem repleta de ação e suspense que leva a uma surpreendente descoberta. Misturando o conhecido e o novo com perfeita sintonia, Gaiman cria mais uma obra repleta de magia e aventura capaz de hipnotizar o mais exigente dos leitores.

Dear Heart, Eu Odeio Você!

Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Faro Editorial

Jules era viciada em trabalho. Colocando sempre o amor em segundo plano, sua principal meta era construir uma carreira com sólida reputação. Cal Donovan era muito parecido. Ele havia traçado uma lista de objetivos para alcançar na vida, e nela só havia espaço para ascensão profissional. Mas um encontro ao acaso muda tudo. De repente, o amor não parece uma distração para atrapalhar seus planos. Como fazer um relacionamento dar certo quando a sua cara-metade mora a milhares de quilômetros de você? Como viver esse amor sem abandonar tudo o que construiu? Algumas vezes as nossas mentes elaboram planos, estabelecem metas, perseguem sonhos. E algumas vezes os nossos corações ignoram as nossas mentes e decidem apostar no amor.

Dear Heart, Eu odeio você! Foi uma das melhores surpresas que eu tive em 2017, eu ainda não tinha lido nada da J. Sterling e estava mega ansiosa e juro que não decepcionei em nada. Peguei o livro para ler e quando vi já tinha terminado. Esse livro conta a história de Jules e Cal, os dois são Workaholics, sempre colocam o trabalho como prioridade e o amor como segundo plano. Mas um encontro ao acaso promete mudar toda a trajetória de metas que eles estabeleceram para suas vidas. 

Cal mora em Boston e Jules em Los Angeles, ou seja, cada um em um extremo dos Estados Unidos. Eles engatam um relacionamento, mas não sabem como fazer isso dar certo quando estão separados por milhares de quilômetros. 



Logo de cara eu amei os dois personagens, eles se complementam perfeitamente, surge uma relação baseada em muito respeito e carinho. Cada mensagem trocada entre eles é muito divertida e foram esses pequenos detalhes que trouxeram um toque especial ao livro. Adorei o fato do casal respeitar o amor de cada um pela profissão e pelo trabalho, acho isso fundamental numa relação. 

Dear Heart é um romance maravilhoso e apesar de Cal ter sido o meu personagem preferido, eu confesso que no momento crucial eu tive vontade de enforcá-lo.  

O livro é narrado em primeira pessoa, o tipo de narrativa que eu mais aprecio, isso aproxima muito o leitor do enredo, e intercalado entre os dois personagens. A leitura é muito rápida, devida a narrativa envolvente da J. Sterling, é impossível soltar o livro e não ficar pensando nos personagens. 

Gostei muito dos personagens secundários como o Lucas, melhor amigo do Cal, e da Tami, melhor amiga da Jules. Admito já desejar um livro deles. 

A capa é linda e a diagramação ficou bem confortável. Amei o trabalho da J. Sterling e confesso estar ansiosa para conferir todos os livros já publicados da autora. Foi uma leitura muito prazerosa e divertida, que me arrancou boas risadas e deixou o coração suspirando com tanto amorzinho.