Diz aí: Filmes indicados ao Oscar inspirados em livros.

Eu não consigo assistir a todos os filmes indicados ao Oscar, porém gosto de pesquisar se aquele filme x é inspirado ou adaptado de algum livro e se ele, o livro, já foi ou será lançado no Brasil. O Oscar 2017 ocorrerá dia 26 de fevereiro e eu reuni seis livros que serão ou já foram lançados no Brasil e inspiraram filmes indicados.


Estrelas Além do Tempo,  Margot Lee Shetterly. 
Título do filme: Estrelas Além do tempo. 

Sinopse do livro
Durante a Segunda Guerra Mundial, a incipiente indústria aeronáutica americana contratou matemáticas negras para suprir sua falta de mão de obra. Esses “computadores humanos” continuaram trabalhando para seu governo e passaram a fazer parte da NASA em uma época em que vingava a segregação racial. Elas garantiram que os Estados Unidos ganhassem a corrida especial contra a União Soviética e lutaram para realizar o sonho americano. Esta é a sua história, que chega também aos cinemas na adaptação cinematográfica estrelada por Taraji P. Henson, Janelle Monáe, Octavia Spencer, Kevin Costner, Kirsten Dunst e Jim Parsons.


O livro está sendo publicado no Brasil pela HarperCollins. Eu fiquei interessada depois de assistir ao trailer do filme, e com certeza é um livro/filme que mostra  empoderamento e também o preconceito racial na NASA. Além de cuidarem das famílias, viverem uma segregação racial sulista, elas tiveram papel decisivo para que o homem pudesse pisar na lua. O filme também intitulado Estrelas Além do tempo é uma adaptação do livro. Claro, com suas modificações. Está indicado em três categorias do Oscar - filme, atriz coadjuvante e roteiro adaptado. O lançamento do filme aqui ocorreu dia 02 de fevereiro. Confira o trailer do filme:



Uma Longa Jornada Para Casa,  Saroo Brierley. 
Título do filme: Lion, uma jornada para casa. 

Aos 5 anos, Saroo pede ao irmão mais velho que o deixe acompanhá-lo à cidade onde ele passava os dias em busca de dinheiro e comida. Durante a viagem, o menino adormece. Ao despertar, confuso, se vê sozinho na estação de trem. Ele não sabe onde está o irmão, mas vê um trem parado. Imaginando que Guddu poderia estar lá dentro, Saroo embarca no vagão, e isso o faz atravessar a Índia.
Sem saber ler nem escrever, e sem ideia do nome de sua cidade natal ou do próprio sobrenome, ele é obrigado a sobreviver sozinho nas ruas de Calcutá até ser levado para uma agência de adoção e ser escolhido por um casal australiano.
Os anos se passam e, ainda que se sinta extremamente agradecido pela nova oportunidade que os Brierleys lhe proporcionaram, Saroo não esquece suas origens. Até que, com o advento do Google Earth, ele tem a oportunidade de procurar pela agulha no palheiro que costumava chamar de casa, e investiga nas imagens de satélite os marcos que poderia reconhecer do pouco que se lembra de sua cidade.
Um dia, depois de muito tempo de procura, Saroo encontra o que buscava, mas o que acreditava ser o fim da jornada é apenas um novo começo.

Esse livro é um exemplo de superação e determinação do autor em procurar suas origens. Depois de 26 anos é que ele conseguiu reencontrar sua cidade e sua família perdida. É o próprio Saroo quem narra sua história. O relato deu origem ao filme Lion – Uma jornada para casa, estreia nos cinemas brasileiros no dia 16 de fevereiro e está indicado ao Oscar em seis categorias:  Melhor filme; melhor ator coadjuvante (Dev Patel); melhor atriz coadjuvante (Nicole kidman); melhor roteiro adaptado; melhor fotografia.




Um limite entre nós, August Wilson. 
Título do filme no Brasil: Um limite entre nós.
EUA: Fences. 

Até quando permitiremos que as nossas barreiras afastem aqueles que mais amamos? Troy Maxson é um homem difícil. Orgulhoso e acostumado a encarar o mundo com olhos de quem sempre espera por hostilidade, ele não consegue aceitar que seu filho, Cory, queira seguir carreira no esporte – sonho que também já lhe pertenceu, mas acabou se tornando a raiz de suas maiores frustrações. Por mais que Rose, sua esposa, tente abrir os olhos do marido para lhe mostrar que o mundo já não é o mesmo de sua juventude, para Troy, negros como eles nunca serão aceitos – não importa quão bom você seja naquilo que faz.

Esse é outro livro que quero ler, parece ser um drama familiar sofrido, eu adoro. E de acordo com o The New York Times: Wilson descreveu as lutas dos negros norte-americanos com riqueza, peso emocional, em peças que dão vozes vivas às pessoas nas margens desgastadas da vida. Ou seja, é em formato de peça teatral. 

Em solo americano o filme é denominado Fences, no Brasil foi intitulado: Um Limite Entre Nós. O filme foi indicado em quatro categorias: Melhor Filme, Melhor Ator (Denzel Washington), Melhor Atriz Coadjuvante (Viola Davis) e Melhor Roteiro Adaptado. O livro será lançado pela editora Única agora em fevereiro. 



Livro: História da sua vida e outros contos, Ted Chiang.
Título do filme: A Chegada. 

Ted Chiang pode ser descrito como um escritor pouco prolífico: tem apenas quinze trabalhos publicados, entre contos e novelas curtas. A pequena produção contrasta com sua expressiva quantidade de premiações: os oito textos reunidos em História da sua vida e outros contos ganharam no total nove importantes prêmios, dentre eles Nebula, Hugo, Locus, Sturgeon, Sidewise e Seiun.
Publicadas originalmente em volumes diversos, as narrativas de Ted Chiang estão pela primeira vez reunidas em uma coletânea.
Chiang comprova seu inegável talento para a boa ficção científica: a capacidade de contar uma história humana, extremamente bem escrita, na qual a ciência funciona como expressão dos questionamentos mais profundos enfrentados pelos personagens. Um livro repleto de ideias originais e passagens inesquecíveis.
Ted Chiang é um dos mais renomados e premiados escritores de ficção científica da atualidade.
O conto que dá título ao livro, “História da sua vida”, foi adaptado para o cinema sob o título A Chegada, indicado a 8 oscars, incluindo melhor filme, melhor diretor (Dennis Villeneuve), melhor fotografia e melhor roteiro adaptado, está presente no livro História da sua vida e outros. O livro foi publicado em novembro pela editora Intrínseca. 




Livro: Tony & Susan, Austin Wright. 
Título do filme: Animais noturnos.

Há 25 anos, Susan Morrow deixou Edward Sheffield, seu primeiro marido. Certo dia, instalada confortavelmente na casa em que mora com os filhos e o segundo marido, ela recebe, pelo correio, um embrulho que contém o manuscrito do primeiro romance de Edward. Ele lhe pede que leia seu livro - Susan sempre foi sua melhor crítica, justifica. Ao iniciar a leitura, Susan é arrastada para dentro da vida do personagem Tony Hastings, um professor de matemática que leva a família de carro para a casa de veraneio no Maine. Quando a vida comum e civilizada dos Hastings é desviada de seu curso de forma violenta e desastrosa, Susan se vê às voltas com seu passado, obrigada a encarar a própria escuridão e a dar um nome para o medo que corrói seu futuro e que vai mudar sua vida.

Um romance sobre medo e remorso, vingança e envelhecimento, casamento e criatividade escrito com uma prosa cativante e única.

O livro Tony & Susan: o clássico perdido, inspirou o filme intitulado, Animais noturnos. O romance que foi publicado em 1993 e com a estreia da adaptação o livro ganhou nova roupagem em 2016 pela editora Intrínseca. O filme estreou no Brasil dia 29 de dezembro.  





Resenha - Coração Perverso - Leisa Rayven

Ano: 2016 / Páginas: 360
Idioma: português
Editora: Globo Alt

Elissa Holt tem uma regra quando se trata de relacionamentos: ela não namora atores. Sua bem-sucedida carreira de diretora de palco em Nova York a ensinou que eles não são confiáveis, e isso se comprova quando ela conhece Liam Quinn. Eles tiveram um breve, porém intenso romance há seis anos, pouco tempo antes de Liam se mudar para Hollywood, fazer sucesso em grandes produções de cinema e quebrar o coração de Elissa ao começar a namorar Angel Bell, a atriz queridinha da América. Agora o casal do momento está em Nova York para estrelar a peça A megera domada, de Shakespeare, da qual Elissa será, coincidentemente, a diretora de palco. Apesar de o cenário ser completamente diferente, tudo o que aconteceu entre eles – e o que poderia ter acontecido – vem à tona. Mesmo Elissa sabendo que se entregar a Liam de novo poderia gerar uma tragédia, fica claro que o amor e o desejo nem sempre seguem o script...

Elissa tem uma regra de nunca se envolver com atores, eles sempre quebram o seu coração e te deixam sozinha para juntar os pedaços. No passado, Elissa se envolveu com Liam Quinn e apesar do romance intenso, ele acabou trocando Elissa por Angel Beli, a atriz queridinha da America. 

Quando Elissa menos espera, o passado volta para atormentá-la. Liam esta de volta a Nova York, junto com sua noiva Angel, para estrelar a peça A megera domada, que por coincidência será dirigida por Elissa. Por obra do destino, ou não, todos os sentimentos de Elissa vem a tona quando Liam reaparece e ela não sabe como lidar com tudo isso, e nem ele. 

Desde o final de Minha Julieta eu já estava me sentindo órfã dessa série, até que veio esse lançamento e eu tive que correr para ler. 





Leisa já tinha se mostrado uma excelente autora desde o primeiro livro e com Coração Perverso eu só confirmei esse fato, um enredo delicioso e viciante, uma narrativa simples e muito envolvente que prende o leitor do começo até o final do livro e eu amo o fato de que ela consegue trabalhar tão bem com cenas do passado e do presente, de modo que não fiquei confuso para o leitor, é tudo tão bem elaborado que você fica em dúvida se prefere as cenas do passado ou as do presente. 

Eu já amava Elissa desde os primeiros livros e sempre torci por um livro só com a história dela e não me decepcionei nadinha. 

Elissa é uma personagem maravilhosa e ela passa por tantos momentos de dúvidas em sua história com Liam que isso conseguiu me por em dúvida também, por certas vezes eu o amava e outras eu o detestei, foi literalmente aquela coisa de amor e ódio e uma mistura de sentimentos que por vezes me deixou louca. 

Um das coisas que eu mais achei curioso nesse livro é que a princípio eu pensei que odiaria Angel, pensei que ela seria a vilã da história, por ter "roubado" Liam de Elissa, mas eu não poderia estar mais enganada, Angel é maravilhosa, bem humorada e um doce de pessoa, é impossível até mesmo para Elissa tentar odiá-la, ela nos arranca boas risadas. 

Outro destaque também vai para Josh, amigo de Elissa que também é muito bem humorado e junto com Angel foi um dos grandes responsáveis pelo enredo tão delicioso de Coração Perverso. 

Esse é um livro que pode ser lido sem ter a obrigação de ter lido o primeiro e o segundo volume, mas não é algo que eu recomende, mesmo porque você pode acabar pegando alguns spoilers dos primeiros livros que por sinal são igualmente apaixonantes. 

Em suma, só tenho a dizer o quanto Leisa foi feliz com essa série, o quanto ela se mostrou capaz de nos apresentar um romance bem  dramático e ao mesmo tempo muito bem humorado. Tenho praticamente certeza que a autora deve nos preparar uma surpresa com um outro spin off, pois quem leu Coração Perverso ainda ficou com um gostinho de quero mais em relação a outros personagens. 

A capa é maravilhosa e tem super a ver com o restante da série. A revisão ficou impecável. 






Resenha - O primeiro dia do resto da nossa vida - Kate Eberlen

Ano: 2016 / Páginas: 432
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. E pode ser que nunca se encontrem... Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado. Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade... ou será que não? O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.

Tess e Gus tem dezoito anos e o caminho dos dois se cruzam por um dia, durante as férias na Itália. Ao retornar para casa os dois tomam rumo diferentes pelos próximos dezesseis anos, Tess descobre que sua mãe esta doente novamente e isso vai causar um grande impacto nos seus planos. Gus, parte rumo a faculdade de medicina, apesar de não ser o que ele verdadeiramente deseja. 

Os anos se passam e os caminhos de Tess e Gus voltam a se cruzar por inúmeras vezes, mas sem que os dois realmente se encontrem.  

Ao longo dessa história nós vamos acompanhar o crescimento desses dois personagens, as situações que cada um passa que os faça amadurecer. 

O primeiro dia do resto da nossa vida é uma história realista e palpável, é possível perceber que todas as situações presentes no enredo poderiam facilmente acontecer em nossas vidas, esse é um enredo repleto de erros e acertos, de planos e sonhos não realizados, tudo o que acontece no nosso dia a dia. 



Os capítulos são intercalados entre a narrativa em primeira pessoa de Tess e Gus e isso permite que o leitor se envolva ainda mais na história de cada um. Tess e Gus foram feitos um para o outro, eles se completam em todos os aspectos e você passa o livro inteiro torcendo para que eles finalmente se encontrem. 

A narrativa é  gostosa, simples e envolvente, o livro é repleto de diálogos dramáticos e ao mesmo tempo bem humorados. Kate Eberlen consegue prender o leitor na história de uma maneira viciante, fiquei devorando as páginas, atrás do momento em que eles fossem se encontrar. 

O primeiro dia do resto da nossa vida a princípio me lembrou muito a história de Simplesmente Acontece e eu amo esse livro. Talvez por amar tanto um livro eu entrei nessa leitura com expectativas baixas de que esse livro dificilmente superaria Simplesmente Acontece, no entanto acabei surpreendida com os rumos que essa história tomou e com o final que apesar de esperado, conseguiu ser um bom final e faz o leitor se questionar sobre a própria vida. 

O primeiro dia do resto da nossa vida é um livro fantástico em todos os pontos que poderia ser. É um leitura que realmente vale a pena e recomendo a qualquer pessoa. 

A capa é maravilhosa e a revisão da editora ficou impecável como sempre. 


Resenha - Escândalos na primavera - Lisa Kleypas

Ano: 2017 / Páginas: 224
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Daisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braço direito na empresa.
Daisy está horrorizada com a possibilidade de viver para sempre com alguém tão sério e controlador, tão parecido com seu pai. Mas não admitirá a derrota. Com a ajuda de suas amigas, está decidida a se casar com qualquer um, menos o Sr. Swift. Ela só não contava com o charme inesperado de Matthew nem com a ardente atração que nasce entre os dois. Será que o homem ganancioso de quem se lembrava era apenas fachada e ele na verdade é tão romântico quanto os heróis dos livros que ela lê? Ou, como sua irmã Lillian suspeita, o Sr. Swift é apenas um interesseiro com algum segredo escandaloso muito bem guardado? Fechando com chave de ouro a série As Quatro Estações do Amor, Escândalos Na Primavera é um presente para os leitores de Lisa Kleypas, que podem ter certeza de uma coisa: embora as estações do ano sempre terminem, a amizade desse quarteto de amigas é eterna.

Daisy Bowman já esta na terceira temporada de eventos sociais em Londres e ainda não encontrou um marido, justamente por isso ela acaba recebendo um ultimato do seu pai: se ela não conseguir arranjar um pretende adequado, ela terá que se casar com o braço direito de seu pai, Matthew Swift. Daisy esta completamente em pânico com o fato de ter que casar com alguém tão semelhante a seu pai, sério e controlador e junto com suas amigas vai tentar se casar com qualquer um que aparece. 

O que Daisy não poderia esperar é que surgiria uma atração entre ela e Matthew, que assim como Daisy também não pretende que esse casório se realiza. Matthew é um homem misterioso e isso pode comprometer a relação dos dois. 



Agora que a série foi finalizada eu tenho o meu preferido, sei que eu tinha amado o terceiro livro, mas o quarto me conquistou de maneira sem igual. Tudo o que Daisy pensava sobre Matthew não poderia ser mais errado, me surpreendi com o personagem, que me conquistou logo de cara, um homem atraente, forte, sensual e inteligente. 

O pai de Daisy é intragável, ele acha que a filha é um mau investimento e fica sempre criticando-a por ela só ficar com o nariz enfiado nos livros ao invés de se preocupar em aprender sobre como administrar bem uma casa. Ele acha que a filha não esta nos padrões de conseguir um bom casamento e isso me deixou muito irritada durante a leitura. 



Daisy logo no começo tem um preconceito grande com Matthew, faz anos que ela não o vê e a visão que ela tem dele é completamente deturpada, mas gostei de ver que com o tempo ela começa a reconhece que o moço tem muita coisa de diferente. 

Daisy é uma jovem delicada, apaixonada por um bom romance, inteligente e ainda que Evie seja minha personagem preferida da série, Daisy chega praticamente junto.  O casal se complementou de maneira muito harmoniosa e acho que esse foi o charme do livro, o romance entre eles surgiu de uma forma muito delicada, simples e devagar, e adoro quando os romances surgem assim.



Adorei rever os casais dos livros anteriores, foi gratificante matar a saudade de personagens tão queridos. E só de saber que teremos mais um livro contando a história de um dos irmãos de Daisy e Lilly eu já estou em êxtase.

Escândalos na primavera foi um livro completamente apaixonante e eu definitivamente não me canso da narrativa deliciosa da Lisa Kleypas que sempre consegue nos prender ao enredo do começo ao fim. 

A capa desse livro é maravilhosa e retrata muito bem o enredo. A diagramação ficou perfeita e a revisão impecável como sempre. 



Resenha - O Jogo - Elle Kennedy

Ano: 2017 / Páginas: 296
Idioma: português
Editora: Paralela

Talentoso, inteligente e festeiro, Dean Di Laurentis sempre consegue o que quer. Sexo, notas altas, sexo, reconhecimento, sexo… É sem dúvida um galanteador de primeira, e ainda está para encontrar uma mulher imune ao seu charme descontraído e seu jeito alegre de encarar a vida. Isto é, até ele se envolver com Allie Hayes. Em uma única noite, essa jovem atriz cheia de personalidade virou o mundo de Dean de cabeça para baixo. E agora ela quer que eles sejam apenas amigos? Dean adora um desafio, e não vai medir esforços para convencer essa mulher tão linda quanto teimosa de que uma vez não é suficiente. Mas o que começa como um simples jogo de sedução logo se torna a experiência mais incrível e surpreendente de sua vida. Afinal, quem disse que sexo, amizade e amor não podem andar de mãos dadas?

Talvez o melhor livro da série... Ainda estou em dúvida entre esse e a sua continuação. 

Desde o começo da série eu sempre soube que o livro do Dean iria surpreender, mas eu não poderia imaginar o quanto, principalmente com Allie sendo o seu par. 

Allie ficou um tempão em um relacionamento termina e volta com Sean até que finalmente chega o dia em que ela resolve se livrar do encosto e para não voltar atrás ela resolver passar um final de semana na casa dos meninos. O que ela não poderia imaginar é que acabaria se envolvendo com o cara mais mulherengo da face da terra, Dean Di Laurentis.

Dean sempre foi o homem das mil conquistas, mas ficou surpreso que após passar uma noite com Allie ela só queira ser sua amiga. Ele terá que se virar para convence-la que de que apenas uma noite ao seu lado não foi o suficiente. 

Como eu disse anteriormente, talvez esse seja o melhor livro da série. Dean e Allie foi um encaixe perfeito, amei ver como tudo foi surgindo entre eles. Eles ficam tentando esconder o relacionamento e isso rendeu cenas divertidíssimas, por vários momentos eu peguei-me chorando de rir com o livro, na verdade eu berrei umas risadas eu tenho certeza que minha mãe chegou a duvidar da minha sanidade. 

Eu me apaixonei pela Elle Kennedy quando li o primeiro livro da série e de cara ela tornou-se uma das minhas autoras preferidas, hoje falo isso com propriedade, já que tive a oportunidade de conhecer outros de seus livros. 

É inegável que sua narrativa é a grande responsável por seus livros serem um grande sucesso, mas eu não posso deixar de destacar o quanto os seus enredos são reais e se aproximam do que os jovens vivem em seu cotidiano, essa série em específico que se passa no ambiente universitário mostra o amadurecimento que nós passamos entre a fase jovem para a adulta. Ele retrata com perfeição as dificuldades de ter que amadurecer e ao mesmo tempo lidar com estudos, com relacionamentos e diretamente com o futuro que queremos seguir. 

Essa não é uma série de livros extensos, é um enredo bem enxuto e não sei se isso é bom ou ruim. É bom pelo fato de não ter enrolações, ela vai direto ao ponto e sempre temos uma noção de onde tudo vai chegar. É ruim porque a história é maravilhosa e você fica querendo um enredo que não acabe. 

O jogo, além de chegar com um enredo bem humorado e um casal inusitado, ainda nos deixa com o final desesperador que é uma prévia do que esta por vir. Terminei o livro em choque. 

Tenho certeza que esse terceiro livro irá terminar de conquistar os leitores da série e vai mostrar o quanto Elle Kennedy pode ser irreverente em suas histórias. Se você gosta de um bom New Adult, não deixe de conferir esse livro incrível.