Resenha - Um perfeito cavalheiro

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412383
Ano: 2014
Páginas: 304
Tradutor: Cássia Zanon

CEDIDO EM PARCERIA COM A EDITORA ARQUEIRO

Sinopse: Um Perfeito Cavalheiro - Os Bridgerton - Julia Quinn
Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhce o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.


 Em Um Perfeito Cavalheiro nós conhecemos Sophie a filha bastarda de um conde. Ela foi criada como sua pupila, sempre teve tudo do bom e do melhor, até o momento em que seu pai vem a falecer e a deixa com sua madrasta. Após a morte de seu pai Sophie vive uma vida infernal, é praticamente um escrava dentro de sua própria casa, tem que fazer os serviços de casa, arrumar as filhas de sua madrasta e não pode se misturar ao nobres da sociedade londrina. Mas ela sempre sonhou em frequentar os charmosos bailes da nobreza, até que um dia ela consegue entrar as escondidas no baile de máscaras de Lady Brigerton e conhece um dos sedutores irmãos Bridgerton, Benedict. 

Ele é um homem muito sensual, bondoso e dedicado a família, mas não quer se casar,muito ao contrário, esta cansado de tanto ouvir sua mãe falar nisso. Isso era o que ele pensava antes de conhecer Sophie. Mas quando o relógio bate meia noite e chega a hora de todos revelarem sua identidade, Sophie sai correndo da festa sem nem ao menos dizer a Benedict o seu nome, a única coisa que ela deixa para trás é uma luva, com um antigo brasão de sua família.

Benedict passa meses a procura da sua dama misteriosa, sem sucesso e só volta a reencontra-la três anos depois quando ele a salva das garras de uma cambada de bêbados. Mas apesar de Benedict não a reconhecer em seus trajes de uma simples criada, ele se apaixonada por ela novamente.

Como ela inaceitável que um nobre como ele se casasse com uma criada, ele propõe que ela seja sua amante, oferta que é prontamente recusada por Sophie que não aceita a situação, mas que também é apaixonada por Benedict. Os dois agora terão que chegar a um acordo se realmente quiserem se entregar a essa paixão.

Uma releitura de A Cinderela

Julia Quinn consegue sempre me surpreender, quando eu penso que ela vai me apresentar um clichê ela me chega com essa história fabulosa, de arrancar suspiros. Ela consegui apresentar uma linda releitura da história da Cinderela, com um toque de romance a mais.

E como pode criar uma família com personagens tão viciantes? A cada membro da família que eu conheço, mas encantada fico. Não tem como escolher um favorito, é praticamente impossível. Acho que é o sonho de todos ter uma família tão unida, tão comprometida um com os outros. O amor que irradia dos Bridgerton é contagiante.

Quanto eu terminei a leitura fiquei pensando porque eu também não tenho um irmão Bridgerton, porque senhor????????????

Dona de uma narrativa digna de ser ovacionada, Julia Quinn sempre trás um toque de humor aos seus personagens. Mas sem dúvida o ponto que eu mais aprecio em seus livros são as protagonistas de língua afiada que ela sempre trás em seus enredos, me identifico muito com elas.

Vejo muita gente julgando romances de época alegando serem clichês. No entanto eu não compartilho dessa opinião. Em uma humilde exposição, acho que os enredos são sempre únicos e os personagens inigualáveis. Tenho certeza que se você der uma chance vai se apaixonar por esse gênero assim como eu. E digo mais, confie na Julia Quinn, essa mulher nunca vai te decepcionar.




9 comentários

  1. Eu adoro a história da Cinderela, então acho que vou adorar ler esse livro, mesmo ele sendo uma releitura.
    Adorei a resenha, que me deixou com muita vontade de ler o livro.
    Abraços
    Vivi

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkk pois é.... porque neh? rsrsrsrsrrsrsr
    Quero muito ler essa série, adoro romances históricos e ainda mais contos de fadas, então acho que seria uma leitura perfeita!
    Adorei sua resenha! rsrsrsrrsrs

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Assim que comecei a ler sua resenha pensei: Cinderela de novo? não aguento mais, quero não.
    Porém sua opinião me fez mudar totalmente de ideia, NECESSITO desse livro, até porque amo romances de época, não acho que sejam clichês. E quero muito conhecer os livros da tão bem falada Julia Quinn.

    ResponderExcluir
  4. Eu li "O Duque e Eu" e fiquei apaixonada!!! Lindo! Amei a família Bridgerton e não vejo a hora de ler os outros livros.
    Fora que as capas são lindas :)

    bj

    ResponderExcluir
  5. Não fazia idéia que tinha um toque de Cinderela no livro.
    Comprei O Duque e eu, da mesma autora e espero gostar tanto quanto as pessoas falam!
    Gostei muito da história, adoro remakes de contos de fadas!

    Beijinhos
    Sou eu... Pri!

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia muito bem o livro, mas parece muito bom. *----* Vou colocar na listinha de leitura, mas Deus sabe quando vou ler.... acho digno isso de nobre e plebeu juntos <3

    www.fasciniosliterarios.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Quando comecei a ler essa resenha, fiquei imaginando que já conhecia aquela história, foi quando eu vi que era uma releitura. kkkkkkkkkkk
    Até que acheu que umas situações dos romances históricos são bem clichês, mas as narrativas são tão legais (o povo é só elogio), que isso passa a ficar em segundo plano.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. apesar de gostar de historias do tipo esse livro não chamou muito a minha atenção mesmo com a resenha que ficou muito boa sobre o livro :)

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nada da Julia Quinn, mas confesso que fiquei bem curiosa quanto à história. Eu não sei se já te disse, mas sou apaixonada por releituras - e uma da Cinderela com certeza me chama bastante a atenção, independente da época em que se passa. Adoro personagens bem humorados, e tenho certeza que vou gostar dos criados por Quinn!
    Beijos,
    Déia!
    Own mine

    ResponderExcluir

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D