Resenha - Querida Sue

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412635
Ano: 2014
Páginas: 256

Sinopse - Querida Sue - Jessica Brockmole
Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor. Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas. Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.




Querida Sue conta a história de Elspeth Dunn, uma jovem poeta que mora na Ilha da Skye. Certo dia ela é surpreendida pela carta de David Graham, um universitário americano que se identifica com um grande admirador de sua obra. Elspeth é casada e David um jovem universitário que ainda vive dificuldade com os pais. Nesse meio eles dão inicio a uma troca religiosa de cartas, que dura por anos a fio, ambos se abrem um com o outro e compartilham tudo sobre suas vidas, medos, sonhos, receios e dificuldades. Eles estão sempre compartilhando um com o outro até mesmo pequenas coisas do dia a dia, como por exemplo a dificuldade de David em se relacionar com o pai, um novo livro de Elspeth que ele ganha da irmã. E tudo isso que começou como uma grande amizade acaba se transformando em amor. Mas a história deles começa a tomar um grande rumo quando chega a primeira guerra mundial.

Em uma narrativa alternada somos introduzidos na histórias alguns anos a frente, no meio da segunda guerra mundial e conhecemos Margaret, filha de Elspeth. Margaret é uma jovem muito corajosa que vive a ajudar os feridos da guerra e tem um noivo chamado Paul. Durante um bombardeio que atinge a casa de Elspeth, uma parede secreta cai e Margaret encontra várias cartas de David para uma tal Sue ( sua mãe). Elspeth logo se levanta para recolher com rapidez todas as cartas, mas nesse meio Margaret consegue ficar com uma das cartas.

Quando Margaret volta para casa descobre que sua mãe Sue desapareceu, foi embora com todas as cartas e a única pista que Margaret tem para descobrir o paradeiro de sua mãe é a carta que lhe restou, datada de 1915.  Diante a ausência de sua mãe Margaret passa a procurar por seus parentes, qualquer pessoa que saiba lhe informar um pouco mais sobre o passado de sua mãe, sobre o pai que Margaret nunca conheceu e que sua mãe sempre se recusou a falar.

Querida Sue é um livro extremamente tocante, emocionante. Todo o enredo transcorre entre troca de cartas. Sim! A história é contada exclusivamente por meio de cartas, alternadas entre o passado e o presente de Elspeth e David. E isso foi o que mais gostei no livro, a originalidade da autora por criar algo tão diferente e principalmente sua destreza em elaborar uma história fantástica e conseguir manter o fluxo do enredo diante tantas cartas.

As cartas trocadas entre David e Elspeth e são dotadas de um sentimento único, devastador, apaixonante. Você consegue acompanhar toda a história do casal, você vai rir, chorar e realmente se emocionar. Já em 1940 você tem as cartas de Margaret para o seu amado Paul, com o sumiço de sua mãe ela dá inicio a uma busca para descobrir o seu passado, suas origens e ela relata tudo isso a seu noivo Paul.

Duvido muito que alguém pegue esse livro e não fique ansioso para termina-lo o mais rápido possível. As cartas são tão pessoais, íntimas e sinceras que realmente dá a impressão que você achou uma antiga caixa da família repleta de cartar e resolveu ler. Jessica proporciona aos leitores uma completa conexão com os personagens e você consegue ser capaz de sentir tudo e realmente refletir sobre o livro. Quando terminei a leitura eu realmente fiquei pensando " Meu Deus que livro foi esse".

Outro aspecto que gostei muito no livro foi o destaque que a autora da a ambientação da Guerra Mundial. Quando comecei a leitura pensei que ela fosse passar por cima de alguns aspectos e colocar o romance em evidência, mas não.

Por fim, só tenho a dizer que Jessica me surpreendeu muito com esse maravilhoso livro e só tenho a agradecer.






14 comentários

  1. Eu ganhei esse livro em alguma promoção mas ainda não o li, aliás, ele nem chegou aqui ainda! rsrsrsrsrrs
    Fiquei com vontade de lê-lo, saber que a história é contada toda por cartas, só me deixou mais curiosa ainda! Parabéns pela resenha!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. É de chorar? haha, to procurando um livro p chorar! kk
    Adorei a ideia da narração através das cartas!! Sempre gostei desse tipo de livro :) E AMO qualquer tipo de história sobre Segunda Guerra, se tiver romance então ♥

    ResponderExcluir
  3. Adoro cartas! E adoro livros escritos em fomra de cartas, ou que tem como temas cartas.

    ResponderExcluir
  4. Ganhei esse livro, mas ainda não li. Achei linda a capa, a sinopse e adorei a resenha. Gosto de livros que emocionam e outro ponto que gosto também é a ambientação da Guerra Mundial. Com certeza uma das minhas próximas leituras.

    ResponderExcluir
  5. Apesar de não ser do estilo que geralmente leio, achei o livro interessante. Nunca cheguei a ler nenhum romance epistolar, mas tenho curiosidade. O legal é saber que a autora conseguiu escrever uma ótima trama usando apenas cartas. Deve ser bem legal mesmo. Espero ler em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  6. Oiiiiiiii,
    Menina, não tinha dado nada por esse livro, que história!
    Ai Feeeee, você tem a capacidade de me deixar doida com esses seus livros!!!
    Simplesmente AMEI!
    Vou querer, vou ter que anotar aqui...

    Beijinhos
    Sou eu... Pri!

    ResponderExcluir
  7. Sempre me chama atenção quando a autora tem meu nome huahuahuahua
    A princípio a capa não me interessou, e por ser de época fiquei meio assim...
    Não li nada com narrativa alternada então não sei o que esperar... Todos estão falando bem desse livro, mas não tive vontade de ler. (aquele momento estranho em que todo mundo está amando uma coisa e você parece ser do contra :/
    Acho que o que poderia me dar uma vontadezinha seria "você consegue acompanhar toda a história do casal, você vai rir, chorar e realmente se emocionar. "

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Realmente esse parece ser um livro muito bom...fiquei muito curiosa.
    Já tinha ouvido dizer que ele é todo em cartas e você confirmou. Isso só dá mais vontade de ler.

    Abraços
    Vivi

    ResponderExcluir
  9. Que história interessante! Gostei pela capa, pela sinopse que logo entusiasma e também ainda mais pela resenha! Fiquei curiosa pra saber mais sobre essa história, vou anotar e ler assim que puder :)

    ResponderExcluir
  10. Uma história bem interessante. A autora pelo que vi foi bem criativa e usou de recursos ou melhor, fatos que ocorreram em nosso tempo pra acrescentar na história do livro. Isso é muito bom e faz a história mais rica e bonita. Com certeza vou querer ler este livro. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Que lindo!!! Parece ser uma história emocionante, onde muitas lágrimas vão rolar... as minhas claro!! Gosto muito de romances que retratam alguma guerra, é um assunto que realmente gosto de ler. O fato de ser narrado totalmente através de cartas aguçou ainda mais minha curiosidade, pois nunca li nenhum livro assim. Fiquei doida pra conferir!!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  12. Tenho muita vontade de ler.. até ajudei na escolha da capa, quando a Arqueiro pediu na FanPage. Parece muito bom, apesar de eu não ser fã de romances. Querida Sue parece ser bem tocante. Adorei sua resenha, Fê :)

    Henrique

    ResponderExcluir
  13. Oi Fe, nunca me interessei por esse livro mas depois dessa sua resenha ele já está na minha listinha de desejados, mal posso esperar para lê-lo. Beijos

    ResponderExcluir
  14. Eu estou louca para ler esse livro! Eu recebi e já está nos próximos na minha lista leitura! Adoro livros que se passam na segunda guerra mundial, e eu tenho certeza que também vou me surpreender!
    Beijos,
    Déia!
    Own mine

    ResponderExcluir

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D