Resenha: Sonhos Despedaçados - Ellie James

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581635439
Ano: 2014
Páginas: 320
Tradutor: Tiago Novaes Lima

Sinopse: Em uma casa abandonada, um grupo de adolescentes joga Verdade ou Desafio. Antes de a noite acabar, a garota mais popular da escola desaparece como se fosse por mágica.Recém-chegada à cidade, Trinity preferiria não ter as visões que a atormentam tanto... Agora ela precisa agir rápido, porque todas as suspeitas levam até ela.
Cheio de reviravoltas e sustos, Sonhos Despedaçados é leitura obrigatória para quem gosta de tramas com desfechos imprevisíveis. Os cenários ajudam a compor o mistério, e podem ser os cemitérios antigos de Nova Orleans ou os destroços deixados pelo furacão Katrina. O único problema: você não vai ter coragem de ler este livro quando estiver sozinho em casa.

"As coisas que eu previa... aconteciam. Elas sempre, sempre aconteciam."
Quando li a sinopse deste livro pensei: "Ual! Esse livro vai me fazer morrer de medo!" Ledo engano... A sinopse é muito melhor que o livro em si.

Em Sonhos Despedaçados, vamos conhecer Trinity, uma adolescente de 16 anos que acaba de se mudar para Nova Orleans. Trinity perdeu seus pais em um "acidente" quando era apenas uma garotinha. Desde então, morou com sua avó paterna no Colorado e depois que a mesma faleceu, Trinity foi morar com sua tia Sara, irmã de seu pai. Trinity não sabe como realmente aconteceu o acidente em que perdeu seus pais. A única coisa que ela sabe é que vê... coisas.
"O resto de mim... de volta à casa em Prytania, onde na escuridão o frio sangrava. E o tremor não parava. Não pelo que Jessica e Amber haviam feito. Nem mesmo por Chase, e por quanto doeu saber que, toda vez que ele sorria, para mim, por dentro gargalhava.
E não pela minha tia, e o terror que vira em seus olhos.
Não, eu temi pelo que vi.
E porque sabia o que iria acontecer."
Trinity foi uma personagem que me fez odiá-la do início ao fim do livro. Uma personagem "coitadinha" que só pensa em ser amada e tocada. Ela perde tanto tempo se lamuriando de sua vida, que não repara nas pessoas que realmente gostam dela, como sua tia por exemplo!

Creio que o livro não merecia tantas páginas, umas boas 150 páginas, resumiria o livro, claro que daí, a autora teria uma personagem mais sensata e decidida. O suspense que a sinopse diz, fica fraco perto de tanto mimimi da protagonista. Podem ler o livro a noite sossegados, no máximo, vocês vão falar um palavão pela moleza que Trinity narra a história.
"Em toda a minha vida eu tive pesadelos. Às vezes eram violentos, insidiosos, imagens de morte, sangue e profanação. Às vezes eram simplesmente assustadores, a consciência de estar sendo seguida ou perseguida, a consciência de que alguém rastreava cada um dos meus passos. E aprendi a acordar. Aprendi a saltar fora dali no último momento. a me salvar. A pôr um fim no terror."
O que salva o livro são os últimos capítulos, esquecendo totalmente a protagonista "coitadinha", o leitor consegue pegar um ritmo de leitura e em poucos minutos finaliza. A base da história é muito boa - uma adolescente que consegue prever a morte das pessoas.... e que faz o possível para ajudá-las. Também tem os cenários da história que ajudaram muito - Nova Orleans é conhecida por seus habitantes supersticiosos - e Katrina, o furação que devastou a cidade, deixando alguns lugares vazios e sem vida.

A narrativa é em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Trinity. Como disse, é um pouco arrastada e deixa o leitor farto facilmente. A capa é linda e ajudou a escolhê-lo para leitura. A diagramação é simples mas bem feita, não encontrei nenhum erro de revisão.
Não sei se eu me indicaria essa leitura, porque realmente achei que o livro deixou a desejar, mas... nem todos temos os mesmos gostos neh?




7 comentários

  1. Oiee!
    Sinceramente não me vejo lendo esse livro.
    Ele pode até funcionar para outros leitores mas tenho certeza que não é o meu caso. Apesar de amar suspense e essa coisa toda de tentar descobrir o realmente aconteceu, só isso não basta para que eu ame a leitura, e o fato dele ficar sem nexo em determinada hora só me fez querer deixar pra lá. E é exatamente isso que vou fazer, deixar pra quem tem paciência de ler um livro assim.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  2. O livro me lembrou um filme chamado verdade ou consequência, muito parecido mesmo, só que em vez de desaparecimento há morte. É decepcionante quando o resuminho do livro empolga, mas a história é arrastada e chata, a capa é linda, não entendi ter uma libélula na capa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!
      O lance da Libélula é por causa de um pingente que a mãe da Trinity deixou pra ela. Mas ela praticamente descobre isso no meio do livro, então, sei lá! kkkkk

      Bjo bjo^^

      Excluir
  3. Pela sinopse achei que o livro seria tipo um thriller com sobrenatural mas é dificil lidar com protagonista coitadinha ainda mais quando a lamuria é exagerada, é uma pena o livro ser tao Fraquinho porque uma historia em Nova Orleans ja me deixa curiosa.

    ResponderExcluir
  4. Ana!
    Já tive oportunidade de ler esse livro e confesso que não foi realmente dos melhores, mas gostei muito por causa do mistério e do suspense, e da parte das visões.
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Li a sinopse e acho que tive a mesma reação "Uau ja quero ler esse livro!" que pena que a sinopse é melhor que o livro. E personagem cheia de mimimi? não, não tem paciencia, então acho que não vou ler esse livro tão cedo :/ (ou não vou ler mesmo :x)

    ResponderExcluir
  6. Gosto muito de tramas que nos prendem mas pelo que você diz o livro não é assim como sugere a sinopse. Então acho que que baseado no que li aqui este não seria uma primeira opção de leitura minha.

    ResponderExcluir

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D