Resenha - Atormentada - Jeannine Garsee



Edição: 1
Editora: Jangada
ISBN: 9788564850392
Ano: 2013
Páginas: 368
Tradutor: Denise de C. Rocha Delela

Sinopse - Atormentada - Rinn é uma garota bipolar, que mantém o transtorno sob controle com a ajuda de medicação. Ela mora com a mãe e estuda no Colégio River Hills, onde dizem que a piscina é assombrada por Annaliese, uma adolescente que se afogou ali vinte anos antes. Quando coisas terríveis começam a acontecer aos seus colegas e não a ela, Rinn promete descobrir por que não pode ser “atingida” pelo espírito de Annaliese. Ela consegue fazer contato com o fantasma, que não se mostra nada pacífico. Ao descobrir o motivo, Rinn pede ajuda para seu namorado Nate, e elabora um perigoso plano para descobrir a verdade. Logo realidade e fantasia se confundem, até Rinn perceber que é quase impossível diferenciá-las. Diante de uma força malévola que ameaça a vida de todos de quem ela gosta, Rinn se pergunta se de fato pode confiar no que sente ou se está novamente perdendo o contato com a realidade.


Rinn acaba de perder a avó de consideração e teve que se mudar de los Angeles para River Hill, a cidade natal de sua mãe. Rinn vive atormentada pela morte de sua avó de consideração, a mãe de seu padrasto que a culpa pelo acidente. Ela sente falta dele e também da cidade em que vivia, mas agora vai ter que se acostumar com River Hill.

Seu novo colégio é assombrado por um fantasma chamado Annaliese, uma jovem que estudava no colégio e acabou se afogando na piscina dali vinte anos atrás e agora seu espirito permanece assombrando o lugar. Coisas estranhas começam a acontecer com os colegas de Rinn, mas nunca nada acontece com ela e por isso Rinn resolve fazer contato com o fantasma e com a ajuda do seu namorado quer tentar descobrir toda a verdade por trás do espirito que vive ali.

O grande problema é que Rinn é bipolar e vive a base de medicamentos que a ajudam a controlar a constante mudança de humor e com toda essa loucura de envolver com espíritos vai mexer com a cabeça de Rinn e aos poucos ela começa a perceber que a realidade pode estar se confundindo com a fantasia e vice versa. A todo momento ela sente que pode estar perdendo o contato com a realidade e agora precisa saber em quem poderá confiar para se manter firme.


Confesso que quando eu solicitei esse livro eu tinha uma visão completamente diferente dele, eu li a sinopse bem por cima, pedi na verdade mais por causa da capa e acabei sendo muito surpreendida. O livro que eu pensei que era mais puxado para o young adult, na verdade esta mais para um suspense. Com essas coisas de espirito até me lembrei um pouco de Mara Dyer.

Atormentada realmente me deixou bem atormentada, eu sempre comento por aqui que sou muito medrosa e vivo tendo pesadelos quando faço esse tipo de leitura e com esse livro não foi diferente. Rinn é uma personagem com sentimentos muito forte, esse contato que temos com a bipolaridade dela é algo que realmente me perturbou, conheço uma pessoa que sofre dessa doença e sei como as vezes isso pode ser muito complicado, é claro que há variações de pessoa para pessoa, mas o contato que temos com a doença em Atormentada é realmente muito real, as descrições são completamente fieis e palpáveis demais e em relação a isso acho que a autora merecia até um prêmio, por conseguir passar tanta veracidade em suas palavras.

Na minha concepção o livro foi realmente assustador e o fato de Rinn começar a investigar buscando a verdade pro trás das tragédias, só tornou tudo mais macabro ainda. A parte que dá um alivio ao clima pesado do livro é o romance *O* que de fato combinou muito com o enredo e não tirou o foco do ponto principal.


A narrativa é feita em primeira pessoa, pela Rinn então podemos acompanhar tudo o que acontece com ela e toda a gama de sentimentos que ela nos expõe é talvez sufocante, Rinn é bem sarcástica e ter um contato com o emocional e o psicológico da personagem foi uma experiencia incrível. A narrativa de Jeannine é fabulosa e envolvente, consegue prender o leitor a trama do começo ao fim.

Achei o final estranho e teve aquela brecha pra uma continuação, mas na verdade não tem continuação, ou seja, é um daqueles finais em que o leitor tem que pensar na continuação sozinho e detesto isso, acho muito frustante. Enfim, ainda sim é um livro brilhante e que deve ter todo o mérito reconhecido. Recomendo muito mesmo.






8 comentários

  1. Oi Feh!!!

    Essa capa é MARAVILHOSAAAA!!!!! *o* Confesso que nem li a sinopse, mas pela capa eu queria e quero muito ler!
    Adorei sua resenha, espero ter a oportunidade de lê-lo em breve!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Finais assim eu amo. A capa é super bacana, mas a sinopse não me chamou muito a atenção.

    devoradores2livros.blogspot.com.br

    Um xero.

    ResponderExcluir
  3. Tenho que ser sincera, quando vi essa capa pensei: vish, parece ser um livro bem chatinho e parado mas as capas enganam, aquela famosa frase, neh? 'Não julgue a capa pelo livro'. Atormentada parece realmente ser muito bom e envolvente. Rinn é uma personagem bem peculiar e que me deixou curiosa. Espero ter a chance de ler esse livro em um futuro próximo pois adoro o gênero.
    Bjs Nanda!!

    ResponderExcluir
  4. Tem livros que nos atormentam mesmo (em um sentido até bom), já aconteceu comigo de eu ficar ouvindo barulhos e tudo, rsrs. Final meio Jonh Green hein? Gosto, parece diferente,e talvez eu acabe tendo uma visão também diferente desse livro, pois até o título me remete a outros assuntos que nem estão na sinopse, mas sim, um livro bom aparentemente. Adorei a resenha :*

    ResponderExcluir
  5. Tenho uma doença por livros que tem capas aquáticas e quero esse livro na estante. Quero mais ainda porque gostei mesmo do que a historia parece ser, essa coisa meio terror e perturbante, fiquei curiosa pra descobrir o que acontece. Tenho problemas também com livros que terminam com final vago, não gosto de ficar especulando o que diabos aconteceu, quero que o autor escreva e pronto *revoltada*.

    ResponderExcluir
  6. Oi Fefa <3
    Eu nunca tinha ouvido falar deste livro, mas sinceramente não me interessei muito não. Não costumo gostar de livros assim, em geral eu acho um pouco chato livros com temas que logo no inicio já tratam de morte de familiares e tal.
    Gosto de conhecer os personagens para me apegar e entender um pouco de quem eles foram, por mais que a história não gira em torno da avó,eu vou deixar passar desta vez.
    E uma coisa que eu odeio é quando o livro acaba e literalmente não tem final. Meu único problema com o John Green é este, já que em todos os seus livros o final é sempre isto.
    Beijocas!
    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi! Sabia que eu gosto de finais abertos? AHAH, ganhou mais um pontinho comigo esse livro. A capa é bonita e fiquei pensando do que se tratava o livro, não imaginava que se tratava de um suspense e, pelo visto, bem feito. Achei interessante o caso de ter um fantasma no colégio novo e mais entranho ainda é o fato de não perturbar a mocinha e só os seus amigos. Será que ela tem alguma "culpa" nisso? Já que seu padrasto a culpa pela morte de sua avó de consideração, quero saber como foi que ela morreu.
    Gostei!

    ResponderExcluir
  8. Tenho medo desses livros de fantasmas e tal, mas esse parece ser bem legal, instigante e etal, principalmente pela personagem ser bipolar, imagine que loucura vai ser a vida dessa pessoa kkkkk
    quero ler sim!
    bjs

    ResponderExcluir

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D