Resenha - Um beijo inesquecível - Julia Quinn.

Olá pessoas, 
Hoje venho postar a minha resenha deste livro querido que a Fer já resenhou, se quiser ler a resenha dela, clique aqui. 

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580414851
Ano: 2016
Páginas: 272
Tradutora: Claudia Costa Guimarães.
Sinopse: Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga. Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele. Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo.

Esse é o sétimo livro da série Os Bridgertons. No prólogo nos deparamos com uma narração do eixo familiar de Gareth St. Clair, sendo que a relação entre pai e filho se mostrou instável, fria. É perceptível que o pai nunca teve afeto pelo filho, velho chato viu. Nas primeiras páginas nos deparamos com algo que me deixou de boca aberta.

Estava ansiosa pela leitura da história da Hyacinth, ela nunca foi uma moça tímida, discreta, sempre falava o que pensava a família e fazia questionamentos. Indo para a quarta temporada a procura de pretendente, sua inteligente e franqueza ao manter uma conversa faz com os homens a evite. Eu adorei as narrações dos seus pensamentos, me arrancaram sorrisos.


Fiquei imaginando ela e Lady Danbury em uma conversa franca geraria altas e boas risadas e, até um perigo, o que elas iam falar dos outros, a senhora principalmente, ela solta umas frases que seriam improprias aos olhos das famílias de bons costumes e conservadoras. Eu gargalhei em alguns diálogos com elas. A amizade entre as duas é visível.

[...] - Sabe por que eu gosto tanto de você, Haycinth Bridgeton?
A Srta. Bridgerton se inclinou para frente.
- Estou ansiosa para saber.
O rosto de Lady D se abriu num sorriso cheio de rugas.
- Por que você, minha querida menina, é exatamente como eu.
- Sabe, Lady Danbury, se a senhora dissesse isso para qualquer outra pessoa, ela tomaria como insulto. O corpo magro de Lady D chacoalhou com as risadas.
- Mas você, não?
- Eu não. [...]
Gareth St. Clair se tornou um libertino, seduzindo mulheres, se envolvendo com atrizes. E o mais interessante, eu esperava que Hyacinth não fizesse cenas que nem outras moças, ela o responde e ainda encara esperando a replica. Ela não gosta de se sentir em desvantagem em uma conversa. Claro que ela tem seus pensamentos a respeito de St. Clair, principalmente pelo fato que ela não consegue interpretá-lo como faz com as outras pessoas, Gareth é um quebra-cabeça. E sabemos que ela adora quebra-cabeças. 

Eu ficava torcendo pelas conversas entre os dois, conversas essas carregadas de ironia e sarcasmo (sempre que possível). Um autentico cabo de guerra. E a avó dele, Lady Danbury ainda acrescentava lenha na fogueira. Perto dele Hyacinth torna-se ousada, imprudente, falava abertamente o que vinha a mente. 

[...] - Fui ferido - disse, petulante. - E bem no coração.
Hyacinth trincou os dentes. A única coisa pior do que ser alvo de troça era não saber ao certo se você está sendo alvo de troça. Podia interpretar todo o resto de Londres como o texto de um livro. Mas, quando se tratava de Gareth St. Clair, não fazia a menor ideia. [...]
Sei que o livro se passa em uma época diferente, mas me vi em uma certa conversa entre mãe e filha, no lugar de casamento seria um namorado. Não que minha mãe me pressione, mas os familiares sim. Gostei muitíssimo de Um beijo inesquecivel porque me vi em alguns momentos na personagem. De todos os livros esse foi o mais divertido, carregado de humor, ironia. Claro, pitadas de romance. Os personagens são cativantes, e me vi lendo o livro rapidamente e sorrindo bastante para o nada. Engraçado que ele a insultava para sentir prazer e se divertir as custas de Hyacinth. O que me divertia também durante o decorrer do livro.










Como falei no livro anterior (resenha aqui) a autora sempre dá um jeito de trazer o amor familiar a tona e nesse livro o amor de mãe e filha é tão presente e belo quase que me emociono em uma cena. Pela primeira vez o livro de certo modo focou-se mais no Gareth St. Clair, nas questões pessoas e familiares. Nossa que raiva sentir do pai dele. Também temos cenas de relação sexual, nada vulgar e sim com toque bem sensual e romântico, não tao detalhado quanto o anterior. 

Como o próximo livro e último é do Gregory, ele tem presença no livro. Sabe aquele irmão implicante, então, é ele. Terminei o livro esperando pelo capítulo extra do próximo livro e que nada, fui otária. E por incrível que pareça não teve pista no livro de como será a história do Gregory.  Você pode dizer procura o e-book, mas não vou, irei esperar, em junho ele será lançado.

[...] Mas, dessa vez, faria direito. Aquele seria o primeiro beijo dos dois. E seria um beijo inesquecível. [...] 

 + 

5 comentários

  1. Sempre quis ler essa série de livros... Uma amiga está lendo e adorando!
    Ainda vou ler. Depois da sua resenha, fiquei com mais vontade ainda!

    Colecionadores de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia assim que possível, vale a pena. E obrigada pelo comentário.

      Excluir
  2. Eu AMO os Bridgertons, Carol!
    Realmente, eles são uma família apaixonante e difícil não se apaixonar por cada um dos personagens. Eu ainda não conheci direito a Hyacinth, mas pelo pouco que vi, já adorei a garota! Tenho certeza que o livro é mesmo ótimo *-*
    Beijos,
    Déia
    Own Mine

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andrea, sua linda. Amo também mulher, melhor família. Espero que você a ame também. Beijos.

      Excluir
  3. Essa série é maravilhosa! Não vejo a hora de poder dar continuidade a ela <3 A Hyacinth me encanta desde o primeiro livro, então, acredito que ela não vá me decepcionar ahahha! Ótima resenha, beijos!

    ResponderExcluir

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D