Resenha - Noturnos - John Connolly

Ano: 2016 / Páginas: 294
Idioma: português
Editora: Bertrand Brasil

Crianças acreditam que monstros são reais. Adultos tentam convencê-las do contrário — ou de que, no final, eles sempre serão derrotas. Nesta que é sua primeira coletânea de contos, John Connolly escreve sobre os mundos infantil e adulto em confronto em dezesseis histórias absolutamente assombrosas, com ecos de alguns dos mestres do horror — M.R. James, Ray Bradbury, Stephen King —, mas sem abrir mão da voz única e inconfundível que o consagrou em O Livro das Coisas Perdidas. Amores perdidos, crianças desaparecidas, demônios predatórios e fantasmas vingativos são apenas alguns dos ingredientes que compõem esta imperdível antologia.

Noturnos é a primeira coletânea de contos de John Connolly, mais conhecido por O Livro das Coisas Perdidas e a série Samuel Johnson. Nela, o autor nos apresenta 16 contos inéditos e assombrosos, repletos de amores perdidos, crianças desaparecidas, demônios, fantasmas... John Connolly escreve sobre adultos e crianças, mas essas não são, de forma alguma, histórias a serem contadas aos pequenos. Estão cheias de sangue, violência, medo e perigo. 

Dentre os diversos contos, que falam sobre os mais diversos assuntos, como doenças, vampiros, bruxas, fadas, objetos mágicos, etc, alguns se destacam, como: Crianças às vezes se perdem, um conto curto, mas curioso, sobre palhaços assustadores; A balada do caubói canceroso, que fala sobre um estranho caubói que mata pessoas apenas com o toque; A nova filha, que mostra que as fadas nem sempre são boazinhas... Contos que exploram o obscuro, apostando na tensão, e contam histórias assombrosas.

A escrita do John me lembrou bastante a de autores como Stephen King e Joe Hill; são bem detalhadas, mas sem serem tediosas. O autor consegue desenvolver os contos de forma hábil, e mesmo os contos mais curtos têm bastante história. Ele consegue dar um passado e personalidades convincentes aos personagens em poucas páginas. 

Dentre os contos, os que mais gostei mesmo foram os citados acima. Alguns eu acho que poderiam ter sido melhores, e um em especial me incomodou por mostrar como o ser humano pode cruel, mas, em suma, os contos são bem legais e alguns são bem originais, como o dos palhaços, e um chamado O macaco no tinteiro. O melhor dos contos é o mistério. Você nunca sabe onde aquilo vai dar e fica curioso em ver como termina, então fica preso até o final de cada conto. 

Não dá para comentar sobre todos, até porque são 16 contos, mas quem gosta de um bom suspense, banhado do sobrenatural e de criatividade, com certeza vai adorar Noturnos.

A edição da Bertrand ficou maravilhosa, aliás. A capa tem relevo com verniz, as folhas são amareladas, e em cada começo de capítulo tem uma pequena ilustração. Super curti.

Leitura recomendada :D


Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D