Resenha - Crave a Marca - Veronica Roth

Ano: 2017 / Páginas: 480
Idioma: português
Editora: Rocco

Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.

Em uma galáxia, todos os seres estão conectados entre si por uma energia chamada de "a corrente"; ela dá dons (mas também limitações) a todos, mas enquanto uns se beneficiam, outros não. E, em meio a guerras, num planeta repleto de violência, o destino de Akos e Cyra se encontram; dois jovens distintos, cujos dons-da-corrente os tornam vulneráveis aos outros.

Apostando no improvável, os dois decidem unir forças para alcançar seus objetivos; enquanto uma busca redenção, o outro busca vingança, mas a aliança dos dois pode ser mais poderosa do que eles imaginam, colocando em suas mãos não só o destino deles, mas de toda a galáxia. 


Gostaria de começar dizendo que esperava algo completamente diferente de Crave a Marca, mas não me decepcionei com o livro. Achei ele muito complexo, um pouco confuso e lento no começo, mas ele melhorou consideravelmente até o final.

Acho que o único ponto que não me agradou muito foi a complexidade mesmo. A Veronica mudou bastante nessa nova série e ela saltou de uma série YA para uma ficção científica muito complexa; eu fiquei meio perdido com os nomes dos personagens e lugares, e com a quantidade deles. O livro tem mapa, guias e etc, mas ainda assim acho que poderia ser um pouco melhor. E o universo criado pela autora também poderia ser mais explorado. 



Fora isso, o livro é incrível; a autora acertou em cheio com uma história forte, cheia de intriga, vingança, envolvimento político... O livro é realmente um prato cheio para quem curte ficção científica.

Como comentei, a autora mudou bastante desde Divergente, mas a escrita dela se mostrou muito boa e envolvente, o que melhorou bastante a leitura e diminuiu um pouco o impacto da complexidade da trama. Mesmo com o desenvolvimento um pouco lento no começo, o livro vai melhorando bastante conforme os capítulos andam.

Os personagens são incríveis, com personalidades fortes e muito bem desenvolvidos; Veronica trabalha bastante a história de Akos e Cyra, mas também dá lugar aos personagens secundários, principalmente as famílias dos protagonistas. No decorrer da leitura, vamos percebendo que cada personagem tem realmente um papel importante na história e isso é incrível.

Não há lugar para honra na sobrevivência.

Mas além de tudo, o livro ainda trata sobre temas como preconceito e amizade, entre outros. Vi comentários sobre o livro ser racista, mas não acho que foi o que aconteceu, então não concordo com eles. Má interpretação, talvez?


No fim, gostei bastante do livro, mas acho que ainda poderia ser melhor, Não recomendo que leiam com expectativas altas; vocês podem gostar, mas não da forma que esperam. Se você gosta de uma história bem recheada e personagens fortes, acho justo dar uma chance à história de Akos e Cyra.

E nem preciso comentar sobre essa capa, preciso? LINDA! A Rocco também arrasou na edição e diagramação do livro, ficou muito lindo <3



Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D