Resenha - Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh

Ano: 2016 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Em meio à Batalha de Waterloo, lorde Alleyne Bedwyn é ferido e dado como morto pela família. Ao acordar, ele se vê no quarto de um bordel sem lembrar quem é ou como foi parar ali. Sua única certeza é que deseja conquistar o coração do anjo que cuida dele todo dia. Contudo, assim como ele, Rachel York não é quem parece. Depois de enfrentar uma situação difícil, que a levou a viver numa casa de pecados, agora a bela e inteligente jovem precisa recuperar seu dinheiro e as economias das amigas prostitutas, roubados por um falso clérigo. E o belo soldado de quem vem cuidando parece perfeito para se passar por seu marido e ajudá-la em seus planos. Porém, apesar de ter perdido a memória, Alleyne não perdeu nada de sua sedução. De volta a Londres, os dois se envolvem em um escândalo pecaminoso e, a cada beijo, esquecem que seu relacionamento é apenas uma farsa e ficam mais perto de se entregar à paixão. Neste quinto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh apresenta um romance repleto de humor, com personagens carismáticos que o leitor não conseguirá abandonar ao fim da história.
O último livro dessa série me deixou em estado de extrema aflição sobre o possível final de Alleyne Bedwyn, que foi ferido na batalha de Waterloo e dado como morto pela família. Contudo, ao acordar Alleyne esta sem memória, ele só sabe que foi salvo por Rachel, a quem ele admira como o anjo que o salvou e pretende conquistar seu coração.

Rachel é uma mulher que passou por poucas e boas e após um momento de dificuldade acaba sendo amparada por amigas prostituas, Rachel precisa recuperar seu dinheiro e sua dignidade e para isso contará com suas amigas e com Alleyne, que se passará por seu marido para ajuda-la. Com tantos planos em jogo, os dois acabam se envolvendo e percebendo que entre eles tem muito mais sentimento do que o esperado. 

Mary Balogh como sempre vem com uma escrita apaixonante e surpreendente, essa série foi o meu primeiro contato com a autora e eu apaixonei por ela logo de cara. Cada personagem é único, singular e adoro como Mary chega com essa narrativa tão sedutora e ao mesmo tampo tão bem humorada. 

O ponto alto desse livro são as amigas de Rachel que são muito bem humoradas, quase que loucas e conseguem envolver o leitor de uma maneira única, as amigas sempre desenvolvem ideias mirabolantes se metem em cada confusão que é impossível não deixar que elas tomem conta do livro. 

Essa é uma série que te arranca suspiros e boas risadas, que encanta o leitor e prende-o durante todo o enredo. Ainda não consegui escolher o meu livro preferido da série, mas tenho certeza que será o tão esperado livro do Wulfric, amo Os Bedwyns como um todo, mas nenhum personagem será capaz de superar Wulfric e eu espero não me decepcionar com o seu livro. 

Esse casal não foi tão arrebatador como o dos outros livro, o romance surge bem aos pouquinhos, mas todo o contexto em que estão envolvidos foi algo bem legal e justamente por isso esse livro não deixa nada a desejar em relação aos anteriores.

Talvez o que eu menos tenha gostado é o fato de que os Bedwyns aparecem muito pouco e essa falta de interação me deixou com aquele sentimento de estar órfão dessa família tão eloquente e singular. 

A capa ficou linda e imagino Rachel como a moça da imagem, a revisão e diagramação ficaram impecáveis como sempre. 




Nenhum comentário

Postar um comentário

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D