Resenha - Trono de Vidro: Império de Tempestades - Sarah J. Maas

Ano: 2017 / Páginas: 364
Idioma: português
Editora: Galera Record
Compre: Tomo 1 - Saraiva | Submarino | Amazon
               Tomo 2 - Saraiva | Submarino | Amazon
Antes de serem traídos pelo atual rei, os Galathynius reinaram em Terrasen por séculos. E agora Aelin deseja recuperar a coroa e voltar a seu trono de direito... Mas o caminho até lá é longo e sinuoso. Amigos serão perdidos, lealdades serão quebradas e alianças inesperadas surgirão. Com a vida e poder jurados ao povo que está determinada a salvar, a antiga assassina, conhecida como Celaena Sardothien, colocará a própria segurança em risco para proteger os seus. Mas a única salvação está numa relíquia enterrada nas ruínas de um velho pântano.


Trono de Vidro sempre foi uma das minhas série preferidas e confesso que a ansiedade é sempre incontrolável quando sai um novo livro da série. O volume cinco é um pouco grande e por isso foi divido em dois tomos pela editora, que achou melhor publica-lo dessa forma. 

Não vou dizer que a cada livro que passa a série fica melhor, porque eu não compartilho dessa opinião. Apesar de ser uma fã da saga e sempre me empolgar com um novo lançamento, eu de certa forma fiquei um pouco desacreditada com a série. 



O volume um e dois foram, em minha humilde opinião, os melhores livros da série. Achei o terceiro livro uma enrolação e o quarto foi bem honesto, assim como o quinto, uma vez que analiso o tomo I e II juntos. 

A saga já estava saturada de personagens e Império de Tempestades só veio para piorar, ele é daqueles livros que tem tantos personagens que você já não sabe mais quem é quem, principalmente porque só é lançado um livro por ano, comecei a leitura tentando inutilmente me recordar dos personagens anteriores, isso atrelado ao fato de que o livro ao invés de manter uma protagonista, a história parece ter adquirido mais quatro. 

Além de tudo, como se não bastasse o personagem corriqueiro de qualquer livro: O vilão, esse livro tem dois e ao que parece se encaminha para mais, algo completamente desnecessário. A personagem principal não sabe quem combater e principalmente não tem poder para combater nenhum dos dois, que dirá os dois. 

O tomo I foi uma completa enrolação, inúmeras alternâncias de narrativa, enredo longo e muitas cenas desnecessárias, o livro poderia facilmente ter sido enxugado um pouco mais. Se eu fosse avaliar cada tomo em separado, essa primeira parte seria um grande três bem chorado. Mas avaliando por completo acho uma nota quatro é bem justa, isso se considerarmos que o final foi o grande responsável por tudo isso. 

Talvez eu esteja sendo rigorosa demais com uma série que amo, mas depois de ler Corte de Névoa e Fúria, da mesma autora, livro que deixa a série Trono de Vidro no Chinelo, acho que encontrei coisas um pouco semelhantes e passei a esperar mais dessa série que teve um inicio tão bom. 



A narrativa continua, sem dúvidas, incrível. É surpreendente como Sarah consegue mesmo com um enredo não tão bom, deixar o leitor preso na história, é uma narrativa eloquente, fugaz, é indescritível. As vezes fico assustada com o talento da autora. 

Não gostei do casal Aelin e Rowan nesse livro, o casal morno cedeu espaço a outros melhores como Manon/Dorian e Elide/Lorchan. Por mim, cancela o casal protagonista e traz mais livros da Manon pra consertar a série. 

Em suma, Império de Tempestades não foi nada do que eu esperava, mas conseguiu ser salvo pelas duzentas páginas finais do livro ( o tomo II no caso), que foram incríveis, cheios de reviravoltas e de Sarah sendo Sarah, nos fazendo odiar amar o livro. Assim como mulher de malandro, vou continuar amando a série e aguardando ansiosa pelo próximo livro, porque afinal, temos amores e Amores né?



Um comentário

  1. "Porque temos amores e Amores"
    Eu ri em um nível MUITO alto. Porque sei quem é o Amor (Rhys <3).
    Concordo em número, gênero e grau! Eu tinha uma ideia totalmente diferente desse livro e confesso, minhas expectativas estavam muito altas e foi bem triste me decepcionar e um sacrifício terminar o primeiro tomo.
    Eu me perdi demais nos personagens e não consegui engolir outros tantos, além de achar desnecessário o destaque pra outros.
    Acabou que dois personagens criados para serem secundários, na minha humilde opinião, merecem ser promovidos a protagonistas!
    Mas como você falou: também sou mulher de malandro e continuarei acompanhando a série.
    Agora, quem é Rowan ao lado de Rhys, hein, amiga? :D
    Beijoos!

    www.pslivros.com.br

    ResponderExcluir

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D