Resenha: O Bom do Amor - Laís Soares e Chris Melo


Ano: 2017 / Páginas: 88
Idioma: português
Editora: Fábrica 231

“O bom do amor é aumentar o volume do rádio quando a música preferida do outro toca.” “O bom do amor é gostar de dormir agarradinho no inverno e saber dividir o ventilador no verão.” “O bom do amor é apreciar cada qualidade, mesmo rodeada de defeitos.” O bom do amor reúne tirinhas de Chris Melo, autora de romances de sucesso entre o público feminino, e aquarelas de Laís Soares que retratam, de forma delicada, sincera e bem-humorada, os pequenos gestos que dão real significado a palavras como companheirismo e cumplicidade na vida de um casal. A cada página, o leitor encontra uma tirinha mostrando uma situação do dia a dia que comprova que o amor – e a felicidade – está nos pequenos prazeres do cotidiano.

Resenha - Boneco de Pano - Daniel Cole

Ano: 2017 / Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Arqueiro

O detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano. 






Como um bom suspense Boneco de pano tem como personagem principal o detetive William Fawkes conhecido como Wolf. Sua atual realidade é conviver com um passado conturbado onde uma investigação envolvendo o criminoso Naguib Khalid repercutiu de forma negativa em sua carreira, até mesmo seu casamento com a jornalista Andrea Hall terminou de forma repentina.

Após um período internado em uma clínica ele retorna as suas atividades, sua colega Emily Baxter entra em contato com ele para ajudar na investigação de um crime bárbaro, onde foi encontrado um corpo, porém 6 vítimas, o corpo monstruoso foi chamado de Boneco de pano, por conter partes das vítimas desse serial killer.

A vida de Wolf sofre uma grande reviravolta, quando ele se vê completamente envolvido com esse assassinato. Sua ex-mulher Andrea Hall fará parte de uma mídia manipuladora onde será responsável por várias notícias sensacionalista apavorando a população e colocando em dúvida o trabalho da polícia e o caráter de Wolf, uma possível lista com nomes dos próximos assassinatos é a corrida contra o tempo para identificar o assassino e colocar um fim nesse caso.

Daniel Cole tem uma narrativa muito dinâmica e inteligente, ligando os fatos com o passado de Wolf e o presente onde esse brutal assassinato está cercado de intriga e corrupção. Wolf é um personagem muito instável, ainda perturbado com o passado e impulsivo, cada dia que passa na contagem do assassino ele fica perturbado e cada vez mais envolvido nesse caso.

Os demais personagens que compõe a história do livro têm uma participação importante na vida de Wolf, ele será testado, julgado e até mesmo desacreditado pelos seus superiores. Para primeiro livro do autor, ficou claro que tem o dom para o suspense e mistério, no final do livro ele não deixa pontos soltas, mas tem um gancho para o real fim do personagem Wolf, cria-se uma expectativa para uma continuação ou uma nova história.

Em suma, Boneco de Pano é um excelente suspense policial e deixa o leitor intrigado com tudo o que vai acontecendo. A leitura esta mais do que recomendada, a revisão ficou ótima e a capa encaixa perfeitamente com o enredo do livro.


Resenha - Big Rock - Lauren Blakely

Ano: 2017 / Páginas: 224
Idioma: português
Editora: Faro Editorial

“A maioria dos homens não entendem as mulheres.”
Spencer Holiday sabe disso. E ele também sabe do que as mulheres gostam. E não pense você que se trata só de mais um playboy conquistador. Tá, ok, ele é um playboy conquistador, mas ele não sacaneia as mulheres, apenas dá aquilo que elas querem, sem mentiras, sem criar falsas expectativas. “A vida é assim, sempre como uma troca, certo?” Quer dizer, a vida ERA assim.Agora que seu pai está envolvido na venda multimilionária dos negócios da família, ele tem de mudar. Spencer precisa largar sua vida de playboy e mulherengo e parecer um empresário de sucesso, recatado, de boa família, sem um passado – ou um presente - comprometedor... pelo menos durante esse processo. Tentando agradar o futuro comprador da rede de joalherias da família, o antiquado sr. Offerman, ele fala demais e acaba se envolvendo numa confusão. E agora a sua sócia terá que fingir ser sua noiva, até que esse contrato seja assinado. O problema é que ele nunca olhou para Charlotte dessa maneira – e talvez por isso eles sejam os melhores amigos e sócios. Nunca tinha olhado... até agora.
Spencer Holiday um playboy garanhão que conquista uma mulher diferente a cada semana. Spencer sabe dar as mulheres aquilo que elas querem sem dar falsas esperanças. Seu pai é dono de uma rede de joalherias e resolveu vende-la para levar uma vida mais calma, o problema é que o possível comprador é um homem conservador e por isso Spencer acha que precisa ajudar seu pai, se mostrando um homem de família. Para isso, Spencer inventa que esta noivo de sua sócia e melhor amiga Charlotte. Será que esse plano vai dar certo?

Big rock é um livro divertidíssimo e de uma leitura muito rápida, sé daqueles livros que você pega pra ler em uma tarde e quando percebe já terminou. Spencer é um protagonista muito convencido, ele se sente o melhor homem do mundo e eu dei muitas garalhadas com ele. 

Spencer e Charlotte são perfeitos um pro outro, só não enxerga quem não quer. Adorei a relação de amizade entre eles, como eles fazem vários programas juntos e como conhecem o gosto um do outro. Quando eles inventam o falso noivado eu já esperava que eles fossem se meter em muitas confusões e eu não estava errada. 



Foi muito divertido acompanhar as furadas em que eles se metiam, a autora conseguiu narrar de uma maneira que foi impossível o leitor não se envolver com a história do casal, eu fiquei pensando em várias coisas que poderiam ajudar o casal, fui cativada pelo enredo leve e apaixonante. 

O livro é hot sim, tem umas cenas bem quentes e a autora soube trabalhar muito bem a descrição das cenas, para que tudo ficasse de uma maneira bem apropriada ao que o enredo pedia. Não achei vulgar, ficou bem sensual na verdade. 

Os personagens secundários foram muito bem construídos e eu já me pego torcendo por novas histórias. Esse foi o meu primeiro contato com os livros da Lauren Blakely e posso dizer que fui conquistada por sua narrativa envolvente e deliciosa. 

Só tenho a dizer o quanto essa leitora foi proveitosa, para uma amante do gênero como eu, essa leitura é garantia certa de diversão e suspiros. 




Lançamentos de Julho: Editora Arqueiro


Oi pessoal!!!
Chegou a vez dos lançamentos da Arqueiro!
Preparem os bolsos!!!! *-*

Lançamentos de Julho: Editora ROCCO


Oi pessoal!
Preparados para os lançamentos desse mês da ROCCO??
Confiram abaixo:

Resenha - A Rosa e a Adaga - Renée Ahdieh

Ano: 2017 / Páginas: 366
Idioma: português
Editora: Globo Alt

A esperada continuação de A Fúria e a Aurora, inspirado no clássico As mil e uma noites Sherazade chegou a acreditar que seu marido, Khalid, o califa de Khorasan, fosse um monstro. Mas por trás de seus segredos, ela descobriu um homem amável, atormentado pela culpa e por uma terrível maldição, que agora pode mantê-los separados para sempre. Refugiada no deserto com sua família e seu antigo amor, Tariq, ela é quase uma prisioneira da lealdade que deve às pessoas que ama. Mas se recusa a ficar inerte e elabora um plano. Enquanto seu pai, Jahandar, continua a mexer com forças mágicas que ele ainda não entende, Sherazade tenta dominar a magia crescente dentro dela. Com a ajuda de um tapete velho e um jovem sábio e tempestuoso, ela concentrará todas as suas forças para quebrar a maldição e voltar a viver com seu verdadeiro amor.


Sherazade acreditava que Khalid era um monstro, mas ao se casar com ele e conhecer seus segredos mais íntimos, ela descobriu um homem apaixonado e muito honrado, mas que carrega um fardo de uma maldição que o atormenta. Sherazade foi embora do castelo ao ser sequestrada por um antigo amigo, Tariq, ela agora vive refugiada no deserto com sua família e pessoas que querem fazer mal a Khalid. A nossa jovem heroína vai agora reunir forçar para tentar quebrar a maldição de Khalid e salva-lo do que ainda esta por vir.

Quando todo mundo começou a falar desas duologia maravilhosa e dizer que o primeiro livro era de tirar o fôlego, eu decidi que só que começaria a ler quando os dois livros estivessem publicados e foi o que eu fiz. Assim que terminei a leitura de A fúria e a Aurora, engatei nessa continuação que foi igualmente maravilhosa.

A rosa e a adaga não é um livro tão romântico quanto o primeiro, as cenas entre Sherazade e Khalid diminuíram para dar espaço a mais cenas de ação. Essa continuação é um livro repleto de ação e aventura e por incrível que pareça eu vou ter que assumir que ficou maravilhoso.

Foi muito bom poder acompanhar o crescimento de Sherazade, ver como a magia começa a surgir em seu íntimo e como ela vai aprendendo a lidar com isso. Foi interessante conhecer histórias antigas e mergulhar na cultura árabe. 






























Esse livro tinha cenas tão reais que eu realmente me senti no lugar de Sherazade conhecendo todas as coisas, foi uma sensação inquietante e deliciosa.

A narrativa se mantém, assim como o primeiro, surpreendemente prazerosa e fugaz. Por essa duologia nota-se como Renée é uma exímia escritora, nos apresentando um enredo singular e muito bem conduzido, uma narrativa que prende o leitor ao livro do começo ao fim.

Sherazade é uma heroína de personalidade forte e disposta a enfrentar tudo por aqueles que ama, fui conquistada por seu jeito de não abaixar a cabeça para ninguém, sua força de vencer os obstáculos e não fraquejar, sua delicadeza para lidar com o sofrimento dos outros. Sem pestanejar, digo que ela é uma das melhores heroínas que já encontrei nos livros.

Khalid é outro personagem incrível e quando eu pensava que não poderia me apaixonar mais ainda por ele, isso aconteceu. Foi difícil ver o sofrimento dele por ter que se manter longe de Sherazade, esse personagem despertou em mim todos os sentimentos que o livro carrega, e foi gratificante por sentir tantas coisas.

Por isso, digo, essa duologia não é só mais um material de fantasia, são livros que possuem sua particularidade e se destacam em meio a tantos outros no mercado, Renée te faz mergulhar na cultura árabe com esse enredo inspirado na história de mil e uma noites, é sem dúvidas uma leitura única.

Recomendo muito essa leitura para qualquer pessoa que adora uma fantasia com um toque de romance, tenho certeza que você encontrará o diferencial que, aos meus olhos, fazem desse livro uma leitura ímpar.


Resenha - Six of Crows - Leigh Bardugo

Ano: 2016 / Páginas: 376
Idioma: português
Editora: Gutenberg

A Oeste de Revka, onde Grishas são escravizados e envolvidos em jogos de contrabandistas e mercadores, fica Ketterdam, capital de Kerch, um lugar agitado onde tudo pode ser conseguido pelo preço certo. Nas ruas e nos becos que fervilham de traições, mercadorias ilegais e assuntos escusos entre gangues, ninguém é melhor negociador que Kaz Brekker, a trapaça em pessoa e o dono do Clube do Corvo. Por isso, Kaz é contratado para liderar um assalto improvável e evitar que uma terrível droga caia em mãos erradas, o que poderia instaurar um caos devastador. Apenas dois desfechos são possíveis para esse roubo: uma morte dolorosa ou uma fortuna muito maior que todos os seus sonhos de riqueza. Apostando a própria vida, o dono do Clube do Corvo monta a sua equipe de elite para a missão: a espiã conhecida como Espectro; um fugitivo perito em explosivos e com um misterioso passado de privilégios; um atirador viciado em jogos de azar; uma grisha sangradora que está muito longe de casa; e um prisioneiro que quer se vingar do amor de sua vida. O destino do mundo está nas mãos de seis foras da lei – isso se eles sobreviverem uns aos outros.
Kaz Brekker é um dos mais talentosos ladrões de Ketterdam, a capital de Kerch, e dono do Clube do Corvo. Kaz é contratado para liderar um assalto e evitar que uma poderosa droga caia em mãos erradas e instaure o caos, ele então monta sua própria equipe para prosseguir na missão, Jesper, Inej, Wylan, Nina e Matthias formam um esquadrão bem improvável, mas esses foras da lei vão se mostrar muito grandes. 

Esse foi o meu primeiro contato com a Leigh Bardugo e não vou dizer que fiquei surpresa, porque todo mundo recomenda sem limites qualquer livro dela. Six of Crows nos traz uma narrativa inegavelmente eloquente e viciante, uma vez iniciada a leitura é quase impossível interrompê-la.  

O livro tem um enredo muito original e voraz, e mesmo com a narrativa alternada entre os personagens, não me senti perdida. E foi o que me surpreendeu, porque geralmente eu sempre prefiro a narrativa de um personagem à de outros, contudo Six of Crows foi diferente e eu me peguei envolvida por cada um deles de uma maneira especial. 



Achei, é claro, que os personagens eram muito novos para possuírem tantas habilidade, afinal eles tem apenas dezessete anos e nesse quesito o enredo foi um pouco exagerado, porém esse é um livro de fantasia, então não ficou de todo ruim, até casou com o enredo e os personagens são muito maduros para a idade  e conseguem convencer o leitor. 

Six of Crows é um livro intenso, com um ritmo feroz, muito bem ambientado. Os personagens são complexos e muito bem pensado para conseguir cativar o leitor. Esse não é um livro de altos e baixos, somente de altos, é um enredo repleto de aventura e muitas reviravoltas e até digo um pouco de sorte. Como eu disse, é difícil interromper a leitura. Dessa forma, digo, só comece a ler se tiver tempo disponível. 

Eu não li a outra série de sucesso da Leigh Bardugo, mas todos os comentários que escutei foram no sentido de que Six of Crows supera qualquer outro livro da autora, então fiquei satisfeita por ter começado do lugar certo. 

O livro tem romance sim, louvado seja,  mas o romance não fala mais alto e não tira o foco da história. Além disso, o livro trabalha com outros aspectos, como as falhas de uma sociedade, principalmente a corrupção, que mesmo em seu grau mais baixo, atinge grande parte da sociedade, em como a moral de alguém pode ser corrompida. 

No mais, foi uma excelente leitura, me arrepende de ter demorado tanto para começar essa leitura, que foi muito rápida, terminei em uma tarde. Gente! Sério.... o que foi esse livro? alguém me socorre aqui, um tiro doeria menos. 

Recomendo muito para todo mundo que adora uma boa fantasia. 




Resenha - A Árvore dos Anjos - Lucinda Riley

Ano: 2017 / Páginas: 496
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Trinta anos se passaram desde que Greta deixou de morar no solar Marchmont, uma bela e majestosa residência na região rural do País de Gales. A convite de seu velho amigo David, ela decide retornar ao lugar para comemorar o Natal. Porém, devido a um acidente de carro, Greta não tem mais lembranças da época em que vivia na propriedade, assim como de boa parte de seu passado. Durante uma caminhada pela paisagem invernal de Marchmont, ela encontra uma sepultura no bosque, e a inscrição na lápide coberta de neve se torna a fagulha que a ajudará a recuperar a memória. Contudo, relembrar o passado também significa reviver segredos dolorosos e muito bem guardados, como o motivo para Greta ter fugido do solar, quem ela era antes do acidente e o que aconteceu com sua filha, Cheska, uma jovem de beleza angelical... mas que esconde um lado sombrio. Da aclamada autora da série As Sete Irmãs, A Árvore dos Anjos é uma história tocante sobre amores e perdas, sobre como nossas escolhas de vida podem tanto definir quem somos como permitir um novo começo.
Árvore dos Anjos conta a história de Greta, que retorna ao solar Marchmont após ter deixado de morar lá há trinta anos. Ela recebe um convite de seu velho amigo David para passar o natal no lugar que lhe traz tantas lembranças. Greta sofreu um acidente há muitos anos e perdeu a memória, ao retornar a Marchmont, em um simples caminhada ela se depara com algo que a faz recuperar uma parte da memória, mas ela precisará da ajuda de David para entender o restante de sua história, e por mais dolorosa que seja, ela precisa descobrir a verdade. 

Primeiramente eu queria dizer que não entendi as inúmeras resenhas que andei lendo, dizendo que o livro era muito emocionante, lindo e de fazer chorar. Eu peguei o livro para ler sem ler a sinopse, mas pelas resenhas que tinha lido, comecei a leitura pensando que seria um romance e não poderia estar mais enganado. 

O livro não tem nada de lindo, nada de fazer chorar, chorar só se foi de medo, já que eu sou medrosa e tive até dificuldade pra pegar no sono depois dessa leitura. 

Árvore dos anjos é sim um livro forte, mas não emocionante ou lindo, ele aborda uma história incrível, de personagens fortes e batalhadores. Greta passa por inúmeras situações difíceis, ela acaba de ficar grávida e o pai da criança se mandou, sem saber o que fazer ela vai sendo levada pelo que a vida a oferece. Ela tenta fazer o melhor pelos filhos, mas nem sempre isso será o melhor de fato. 



O livro tem uma narrativa absolutamente incrível e é agoniante. A história é intercalada ora no presente, ora no passado, nos mostrando tudo que levou Greta a estar na atual situação. Conforme Lucinda ia narrando e nos apresentando a história de Greta, eu ficava cada vez mais agoniada e nervosa com a situação, me perguntando o que eu faria no lugar de Greta. 

Achei incrível mesmo a narrativa da autora, fiquei impressionada com a descrição de várias cenas e em muitas cenas eu fiquei apavorada, com medo REAL, tem uma cenas muito bizarras. A ambientação foi incrível e eu podia me sentir dentro do livro. 

O livro tem sim um "casal" a se surgir, mas nada super romântico, uma vez que o romance não é o foco do livro. 

Apesar de ser um livro com um enredo extenso, a leitura flui muito rapidamente e eu terminei em umas cinco horas de leitura, fiquei a madrugada toda lendo. O resultado final, foi que eu gostei bastante dessa leitura, um livro aparentemente comum, mas com um desenvolvimento curioso e surpreendente. 

Ao terminar a leitura fiquei um bom tempo analisando toda a história e pensando o que a personagem poderia ter feito de diferente para evitar o que de fato aconteceu. Também fiquei com medo da história e relembrando as cenas inquietantes que eu li. 

Árvore dos anjos é sim um livro admirável, mas ao mesmo tempo apavorante. Recomendo o livro para quem adora boas histórias com personagens fortes e um toque de suspense. 


Top 3 - Filmes românticos para assistir no dia dos namorados



Sim, eu sei que meninos não curtem assistir filmes de romance, mas enfim, vai que você consegue convencer seu boy a assistir com você ou você esta solteira ou você pode se encontrar na minha situação, tem um boy, mas ele não vai poder passar o dia com você.

Eu não sei vocês, mas eu adoro filmes de romance, mas gosto daqueles romances sofrência de fazer chorar, porque se não me arrancar nenhuma lágrima não é filme de romance. Separei algum dos romances que eu mais gosto para você assistir nesse dia dos namorados. Eu vou maratonar todos. KKKKKKKK

3º - Orgulho e Preconceito


Inglaterra, 1797. As cinco irmãs Bennet - Elizabeth (Keira Knightley), Jane (Rosamund Pike), Lydia (Jena Malone), Mary (Talulah Riley) e Kitty (Carey Mulligan) - foram criadas por uma mãe (Brenda Blethyn) que tinha fixação em lhes encontrar maridos que garantissem seu futuro. Porém Elizabeth deseja ter uma vida mais ampla do que apenas se dedicar ao marido, sendo apoiada pelo pai (Donald Sutherland). Quando o sr. Bingley (Simon Woods), um solteiro rico, passa a morar em uma mansão vizinha, as irmãs logo ficam agitadas. Jane logo parece que conquistará o coração do novo vizinho, enquanto que Elizabeth conhece o bonito e esnobe sr. Darcy (Matthew Macfadyen). Os encontros entre Elizabeth e Darcy passam a ser cada vez mais constantes, apesar deles sempre discutirem.


Confesso que amo, mas fiquei em dúvida entre escolher ele e "A Duquesa" que amo tanto quanto. Assisti várias vezes e toda vez que eu assisto é como se fosse a primeira. Não sei nenhuma fã do Sr. Darcy hahaha, na verdade eu gosto do filme por causa da Keira Knightley que eu acho que exímia atriz em filmes de época. Mas é inegável que Orgulho e Preconceito é um senhor romance e perfeito para assistir nesse dia dos namorados. 


E não é que eu não goste do Sr. Darcy, eu só não sou fã como muita gente. 


2º - Simplesmente Acontece


Os jovens britânicos Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.







Amo real esse filme, pela atuação maravilhosa dos atores, pela história linda de encontros e desencontros. Não estou aqui para julgar filme como adaptação literária, que pode não ter ficado fiel, mas como filme é maravilhoso. Já perdia a conta de quantas vezes eu assisti, choro horrores MESMO, me emociono muito com a história dos personagens. E Simplesmente Acontece é um dos primeiros filmes que me vem a mente quando alguém me pede uma indicação de filme de romance. 



1º - Cartas para Julieta


A primeira posição ficou empatado e por isso vou colocar os dois filmes que eu mais amo. 

Sophie (Amanda Seyfried) é uma aspirante a escritora que viaja para a Itália ao lado do noivo Victor (Gael García Bernal), que sonha em ter seu próprio restaurante. Em Verona, onde se passou a história de Romeu e Julieta, local perfeito para uma lua de mel antecipada, Sophie acaba percebendo que seu noivo está mais interessado nos fornecedores para seu restaurante do que nela. Na cidade descobre uma antiga carta de amor e junta-se a um grupo de voluntárias que responde estas missivas amorosas. Para sua surpresa, a remetente Claire Smith (Vanessa Redgrave) ouve o conselho dado na resposta e vai procurar Lorenzo, por quem se apaixonou na juventude. Mas existem muitos italianos com o mesmo nome e Sophie demonstra interesse em ajudá-la na tarefa, desagradando o neto Charlie (Christopher Egan), que já tinha reprovado essa louca aventura da avó viúva.


Gente! Sério, se existe alguém que ainda não assistiu esse filme, não sabe o que esta perdendo. Amor real por essa história maravilhosa. Além de me emocionar com o enredo, o fator fotografia é um dos principais motivos por eu me apaixonar por esse filme. Não sei se eu já comentei aqui, mas eu tenho um sonho alucinante de conhecer a Itália e enquanto eu não posso ir fisicamente eu me realizo com esse filme, principalmente porque ele mostra muito o interior da Itália que é o que eu realmente tenho vontade de conhecer.

A história de amor do filme é muito emocionante e sempre me arranca umas boas lágrimas. Adorei a história de Claire e Lorenzo, assim como Sophie e Charlie. Eu desejo muito uma aventura como a de Claire para minha mãe <3


1º Questão de Tempo


Ao completar 21 anos, Tim (Domhnall Gleeson) é surpreendido com a notícia dada por seu pai (Bill Nighy) de que pertence a uma linhagem de viajantes no tempo. Ou seja, todos os homens da família conseguem viajar para o passado, bastando apenas ir para um local escuro e pensar na época e no local para onde deseja ir. Cético a princípio, Tim logo se empolga com o dom ao ver que seu pai não está mentindo. Sua primeira decisão é usar esta capacidade para conseguir uma namorada, mas logo ele percebe que viajar no tempo e alterar o que já aconteceu pode provocar consequências inesperadas.






CHOREI HORRORES, só quero começar dizendo isso. Uma das histórias mais maravilhosas dos filmes românticos, duas pessoas nada perfeitas formando um casal absolutamente perfeito. Assisti pela primeira vez com minha mãe e depois disso nós já assistimos muitas outras vezes e sempre é uma emoção única. Questão de Tempo ficou empatado com Cartas para Julieta porque os dois são filmes que gosto muito e sempre indico pra todo mundo.



Tim é um viajante do tempo e resolve usar suas habilidades para conquistar o grande amor de sua vida. E tudo vai acontecendo de uma maneira tão divertida, que é impossível não se agarrar e se envolver com a história dos personagens.



O filme tem um enredo incrível e as falas dos personagens são muito amorzinho, dá vontade de ficar anotando tudo para depois ler. Se você ainda não conferiu esse filme lindo. Não sabe o que esta perdendo.


Acho que é isso gente, esses são os meus filmes preferidos e os que eu recomendo para vocês assistirem nesse dia tão especial.

Feliz dia dos namorados <3

Resenha - Tudo e Todas as Coisas - Nicola Yoon

Ano: 2017 / Páginas: 280
Idioma: português
Editora: Arqueiro
Tudo envolve riscos. Não fazer nada também é arriscado. A decisão é sua. A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente da casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly. Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.

Tudo e toda as coisas conta a história de Maddy, uma jovem de 17 anos que nesses anos todos nunca saiu de cada. Maddy tem uma doença autoimune e por isso tem alergia a tudo. As únicas pessoas com quem ela mantém contato é a mãe, a enfermeira Carla e um professor. Sua vida é praticamente a mesma todos os dias, até que olhando pela janela ela vê um caminhão de mudança se aproximando com seus novos vizinhos. 

É ai que ela conhece Olly, ele é alto, magro e esta todo vestido de preto. A partir de então, Maddy passa a acompanhar o dia a dia de Olly e sua família, até que o inevitável acontece: Olly resolve entrar em contato com ela. E a amizade que surge entre os dois não poderia ser mais perigosa pra ela. 



Esse livro da Nicola Yoon não poderia ser mais diferente de O sol também é uma estrela, graças a Deus eu não desisti da autora e dei uma chance para esse livro deliciosamente divertido. 

A história de Maddy, apesar de já prevista por mim, é incrível. É encantador poder acompanhar sua rotina e o seu primeiro contato com Olly. Nicola Yoon soube conduzir maravilhosamente bem o enredo que ficou muito envolvente, com uma fluidez incrível, uma narrativa jovial e todas as ilustrações que o livro possui, como se verdadeiramente fosse o diário da Maddy. 

Amei cada ponto do livro, gostei de como todos os personagens se encaixam na história e como cada um tem história única. Gostei de cada um dos acontecimentos do livro, tudo aconteceu exatamente do jeitinho que eu imaginei e foi como se a Nicola tivesse criado o livro perfeito. 

Tudo e todas as coisas é um livro muito emocionante, fala não só de amor, mas de amizade, de relacionamento familiar, de amadurecimento, é um livro adequado para qualquer faixa etária.



Olly é um dos melhores personagens que eu já conheci, é ótimo que ele entenda as dificuldades de Maddy e esteja disposto a aceitar tudo para se aproximar dela. Eu sorri, me diverti, sofri e chorei com os dois, eu torci por eles como se fossem meus melhores amigos. Maddy é tão forte e tão disposta a enfrentar os problemas que você tem vontade de entrar no livro e se juntar a ela. 

Como eu disse, o livro é bem envolvente e por isso é possível terminar a leitura em poucas horas. Se existe um livro que eu possa indicar para qualquer pessoa, Tudo e todas as coisas é esse livro.

Estou muito ansiosa para ver o filme e logo mais eu volto pra gente comentar sobre a adaptação literária. 



Resenha - Espinho de Ferro - Caitlin Kittredge

Ano: 2012 / Páginas: 515
Idioma: português
Editora: Rocco

Prestes a completar 16 anos, Aoife Grayson sabe que seu tempo está se esgotando. Afinal, em sua família, todos enlouqueceram nessa idade, incluindo sua mãe e seu irmão mais velho Conrad. O futuro da menina parece triste, até o dia em que ela recebe uma misteriosa carta, que reconhece ter sido escrita por Conrad, e decide tentar lutar contra sua estranha herança familiar. Primeiro volume da trilogia O Código de Ferro, Espinho de Ferro foi um dos indicados ao título de melhor livro de 2011 pelo site americano GoodReads.



Espinho de Ferro conta a história de Aoife Grayson, uma jovem prestes a completar dezesseis anos, a idade em que a loucura tomou conta de seu irmão e da sua mãe. 

Lovecraft é uma cidade dominada pelos fiscais e o necrovírus é o grande responsável pela epidemia de loucura que assolou a cidade, que agora é cheia de manicômios e de criaturas estranhas vagando pela noite. 

Aoife estuda na Escola de Mecânica e seu irmão foi levado pelos fiscais quando ficou louco, mas o que mais intriga Aoife é que ela agora recebe cartas de Conrad, seu irmão que parece ter fugido dos fiscais, Conrad pede socorro e e Aoife não medirá esforços para ajuda-lo e para isso ela vai contar com a ajuda de Cal, seu único amigo na academia. 



A princípio o livro me pareceu bem interessante, mas confesso que durante a leitura eu me perdi com a confusão do enredo, que apresenta um excesso de criaturas sobrenaturais. Vampiros, faires, criaturas estranhas que passam loucura, rainhas de outras dimensões e por ai vai. 

Não sei o que me atrapalhou mais no desenvolvimento da leitura, se foi a mistura excessiva de criaturas sobrenaturais, muita informação para um primeiro livro, ou a narrativa que por diversos momentos se tornou tediosa. 

Até a metade do livro eu ainda não tinha me apegado a nenhum personagem e só fui me interessar pelo enredo quase no final do livro, que realmente foi muito inteligente, o que me levou a ter curiosidade em ler a continuação. 

Se analisarmos o livro como um todo, ele tem uma proposta diferente e bem original, porém foi mal aproveitada pela autora, que foca em coisas desnecessárias, ao invés de ir logo ao que interessa. 

O livro é narrado em primeira pessoa, pela Aoife e eu realmente gostei dessa personagem, assim como gostei de Dean, um dos melhores personagens que conheceremos ao longo do livro. Cal é insuportavelmente tedioso, um personagem chato com força e que consegue irritar qualquer leitor. Felizmente, o personagem melhora nas páginas finais e a justificativa para toda a chatice foi bem legal e deu uma reviravolta no livro. 

Em suma, o livro tinha tudo para dar certo, mas acredito que a autora tenha se perdido na condução inicial da história. Contudo, o final do livro é tão bom que vale a pena o tempo que demorei para chegar até ele. Sigo curiosíssima pela continuação da história e mantenho a recomendação da leitura para quem gosta de uma boa fantasia. 

A capa é lindíssima e a diagramação deixou a leitura do livro bem confortável. 




Diz aí: Retrospectiva Rosemary Beach



Oi oi gente!

Em setembro a Abbi Glines vem para a Bienal do Livro no Rio de Janeiro e se você ainda não leu ou começou a ler e se perdeu, vem cá conferir essa retrospectiva que o blog preparou.

A série Rosemary Beach é uma série que incorpora várias outras séries, então pra você não se perder, se liga aqui que eu vou te mostrar o babado, vamos especificar cada uma delas, na ordem de leitura.

Série Sem Limites.




É por ela que começa a série Rosemary Beach. A série sem limites conta a história do casal Rush e Blaire e apesar de não ser o casal preferido dos leitores, é o meu casal xodó. 

Rush é filho de um famoso astro do rock e não fica nada satisfeito com a chegada de Blaire, a filha do seu odiado padrasto. Porém, a gente sabe que amor e ódio sempre andam lado a lado, e Rush e Blaire acabam se apaixonando. 

Rush é o típico mocinho possessivo, ciumento e que toma as piores atitudes possíveis. Blaire, apesar de andar armada e dizer que pode cuidar de si mesma, as vezes pode ser muito passiva. Acho que essas características do casal é o que faz muitos leitores julgar o casal como a máxima do clichê. 

A série possui quatro livros e segue a ordem deles:















Paixão sem limites é o 1º Livro da Série Rosemary Beach
Tentação sem limites é o 2º Livro da Série Rosemary Beach
Amos sem limites é o 4º Livro da Série Rosemary Beach
Rush sem Limites é o 6º Livro da Série Rosemary Beach ( isso é o quinto na ordem)

Série Perfeição

Eis aqui a série do casal preferido da grande maioria dos fãs da série. Woods e Della.

Woods é um protagonista maravilhoso, totalmente o oposto de Rush e ele não mede esforços para cuidar de Della, se precisar enfrentar a família ele vai fazer isso sem nem olhar pra trás. Della é uma personagem muito sofrida e que já passou por muita coisa na vida. É maravilhoso o fato dela encontrar alguém tão bom quando Woods. 

Na minha opinião, a série poderia ter mais um livrinho pra gente matar a saudade. 

E para você não fazer como eu, que li a série de trás pra frente, porque me perdi. Segue a ordem dos livros:



Estranha Perfeição é o 3º Livro da Série Rosemary Beach
Simples Perfeição é o 5º Livro da Série Rosemary Beach

Série Chance

Na série Chance, temos o casal Harlow e Grant. 

Grant é o meio irmão de Rush, o personagem que a gente ama em todos os livros anteriores e quando chega no livro dele, a gente tem vontade de pegar pelo pescoço. Amo a Harlow, mas ela é muito molenga pro meu gosto, tem que parar de ser jovem e ter um pulso mais firme na hora de lidar com as pessoas. Harlow tem uma irmã insuportável e torna-se irritante ver como Harlow é feita de gato e sapato. Felizmente, Grant melhora no segundo livro e mostra que ele sempre foi o Grant que a gente amou desde o primeiro livro. 

Se liga na ordem dos livros:


A primeira chance é o 7º Livro da Série Rosemary Beach
Mais uma chance é o 8º Livro da Série Rosemary Beach


Para sempre minha

Esse é o 9º livro da série Rosemary Beach, mas não é série, é um livro único. Para sempre minha conta a história do casal Tripp e Beth. 

Adoro a Beth, amo como ela sempre foi tão independente e trabalhadora. Infelizmente, em um dos livros anteriores ela dá uma mancada tremenda e acontece uma tragédia sem volta. 

Tripp é ótimo e eu já tinha me apaixonado por ele nos livros anteriores, ele já teve uma história com a Beth e nesse livro você vai poder entender tudo. 



À sua espera e Ao seu encontro

Esses dois livros não foram denominados com um nome próprio de série, mas entram na ordem como o 10º e o 11º livro da série Rosemary Beach. Essa duologia conta a história de Mase e Reese, um dos meus casais preferidos da série e também possuem as capas mais lindas *_*

Mase é o irmão de Harlow, então já tivemos um vislumbre dele nos outros livros e Reese é uma diarista das casas luxuosas de Rosemary Beach, certo dia quando Mase sai do Texas para visitar sua irmã Harlow, ele acaba conhecendo Reese. 

Mase é maravilhoso e cheio de cuidados com Reese, que assim como todas as mocinhas da série, levou uma vida muito sofrida e agora foge do passado. Mase é muito paciente e começa a mostrar a Reese que nem tudo na vida tem que ser difícil. O primeiro livro é um pouco melhor que o segundo, já que na continuação da história Mase se mostrou possessivo e ciumento, além de tomar algumas atitudes que nos irritam. 

Pra quem gosta de mocinho do estilo cowboy que nem eu, vai adorar esse livro <3

Segue a ordem dos livros:



E por enquanto é isso pessoal, esses foram os livros da série já publicados no Brasil pela editora Arqueiro. O próximo livro é o do Capitão e depois o da insuportável da Nan. 

Quem ai esta animado para encontrar a Abbi Glines na bienal?

Diz aí qual é o seu casal preferido da série. 




Resenha - Uma noite como esta - Julia Quinn

Ano: 2017 / Páginas: 272
Idioma: português 
Editora: Arqueiro


Anne Wynter pode não ser quem diz que é… Mas está se saindo muito bem como governanta de três jovenzinhas bem-nascidas. Seu trabalho é bastante desafiador: em uma única semana ela precisa se esconder em um depósito de instrumentos musicais, interpretar uma rainha má em uma peça que pode ser uma tragédia ou, talvez, uma comédia – ninguém sabe ao certo – e cuidar dos ferimentos do irresistível conde de Winstead. Após anos se esquivando de avanços masculinos indesejados, ele é o primeiro homem que a deixa verdadeiramente tentada, e está cada vez mais difícil para ela lembrar que uma governanta não tem o direito de flertar com um nobre. Daniel Smythe-Smith pode estar em perigo… Mas isso não impede o jovem conde de se apaixonar. Quando ele vê uma misteriosa mulher no concerto anual na casa de sua família, promete fazer de tudo para conhecê-la melhor, mesmo que isso signifique passar os dias na companhia de uma menina de 10 anos que pensa que é um unicórnio. O problema é que Daniel tem um inimigo que prometeu matá-lo. Mesmo assim, no momento em que vê Anne ser ameaçada, ele não mede esforços para salvá-la e garantir seu final feliz com ela.


Um pequeno aviso dou antes de você começar a ler essa resenha; Cuidado ao procurar sinopse dos livros, pois vi que a sinopse apresentada desse livro no Skoob dá diversos spoilers desse segundo volume. Essa resenha, entretanto, é livre de spoilers. 

Daniel Smythe-Smith passou três anos exilado na Itália após um duelo com seu amigo, Hugh Prentice, no qual ele quase deixou o amigo sem uma perna. Revoltado, lorde Ramsgate, o pai de Hugh, jura que se Daniel continuar em território inglês, irá caçá-lo e matá-lo, então Daniel deixa a Inglaterra. 



Após três anos, ele, enfim, volta à Inglaterra, infelizmente, ele volta no dia do recital anual dos Smythe-Smith, porém, nesse recital tem algo diferente. Ao paino, ao invés de sua prima Sarah, a qual alegou estar doente, uma jovem muito bonita e intrigante encontra-se em seu lugar. 

Encantado com a beleza da garota, Daniel a segue após o final da apresentação e sem resistir aos encantos da jovem, rouba um beijo. Anne Wynter não quer nada além de passar despercebida, quando Daniel Smythe-Smith lhe rouba um beijo, Anne volta a sentir coisas que ela jurou para si mesma nunca mais se permitir sentir. 

Ao descobrir que a misteriosa mulher é, na verdade, a governanta de suas primas Pleinsworth, Daniel passa, então, a frequentar a casa da tia com o pretexto de se aproximar de suas primas mais novas. Com seu charme e sorriso encantador, Daniel começa a cortejar Anne, com o intuito de leva-la para a cama, mas o que começou como desejo, logo vira algo mais e Daniel se vê diante de um sentimento que ele não sabia que poderia sentir. 

Anne, por outro lado, resiste de todas as formas aos sentimentos e desejos que começam a crescer em si. Quando coisas estranhas começam a acontecer e ela se depara com seu passado, ela precisa decidir se vale a pena arriscar, mais uma vez, seu coração e contar todo seu passado a Daniel ou se ela será capaz de deixá-lo pelo bem dele e de sua família, a qual ela aprendeu a amar. 



Considerado por mim o melhor livro da série, Daniel e Anne conduziram uma história incrível e intrigante. Com direito a perseguição e tudo. 

Sensual, divertido e misterioso, esse segundo livro traz um ar mais de ação pra história que o anterior, o que me deixou bastante feliz. 

Daniel e Anne tem uma química tão genuína que você sente através das páginas, o amor e o desejo entre os dois é tão forte que você torce forte e vivamente pelo casal a cada página. 

O passado de Anne foi um dos pontos mais difíceis pra mim durante a leitura, pois me despertou uma raiva enorme e me fez pensar em como as mulheres sofriam antigamente, sem nenhuma voz, sem nenhum direito a absolutamente nada, mesmo quando eram vítimas, eram consideradas culpadas e jogadas na sarjeta.

Daniel é o príncipe encantado que toda garota sonha. Sensual, inteligente, bonito, forte e viril ele conquista seu coração logo nas primeiras páginas, principalmente quando você o vê interagindo com as primas mais novas. 

E vamos dar destaque a personagem Frances, uma das primas mais jovens de Daniel. Quem não quer pegar Frances e colocar no bolso? Ela e seus unicórnios? Cai de amores por ela, como acredito que todos os leitores também! 

Esse é o volume que mais recomendo desta série. Você vai se apaixonar e se divertir demais. Daniel e Anne sabem protagonizar uma história.


Resenha - Comece pelo mais difícil - Brian Tracy

Ano: 2017 / Páginas: 108
Idioma: Português
Editora: Sextante

Não há tempo para fazer tudo o que precisamos – e nunca haverá. As pessoas bem-sucedidas não tentam fazer tudo. Elas aprendem a focar nas tarefas mais importantes e a garantir que elas sejam bem feitas.
Traduzido para 42 idiomas e com 2 milhões de livros vendidos, Comece pelo mais difícil mostra como identificar as tarefas críticas – as que você mais tende a adiar e que terão o impacto mais positivo em sua vida – e organizar o seu dia. Você não só fará mais em menos tempo como fará o que realmente importa.
Um dos mais respeitados coaches do mundo, Brian Tracy estudou o comportamento de profissionais de sucesso e comprovou que eles sabem quais são suas prioridades e realizam uma atividade de cada vez, aproveitando ao máximo seus talentos e habilidades.


Por que você escolheu esse livro para resenhar, Carol? O título, quem não quer ser altamente produtivo no trabalho ou no estudo? Deixar de enrolar e agir? Como concursanda busco sempre melhorar as técnicas, dicas, acredito que todo concurseiro busque aprimoramento. Lendo a contracapa vejo que Brian Tracy é uma das autoridades mundiais da área de aprimoramento profissional e pessoal, um coaches de negócios. Sim, negócios, administração. Não faça cara feia, heim. Isso não quer dizer que você não possa adaptar as dicas para sua realidade, Ok? O próprio Brian fala isso.
Logo no prefácio achei interessante algo que o autor fala: "Hoje em dia não temos tempo suficiente para realizarmos tudo àquilo que planejamos ou se precisa fazer". A vida corrida, estudo, casa, família, tecnologia pode lhe levar a desorganização e nos tornar improdutivos, principalmente dependendo da maneira como utilizamos a tecnologia. E é esse o objetivo dele, ajudar-nos com dicas, estratégias reunidas de estudos e trabalhos realizados. Nos ajuda a identificar quais as prioridades do nosso dia e começar agir, deixar a preguiça de lado. 

Outra coisa, não espere mágica, ele deixa claro que tudo depende de você, e que as estratégias não irão resolver de uma vez todos os problemas. Elas irão ajudar a termos disciplina, determinação, ação. Os métodos, as ideias apresentadas são frutos de estudo e práticas comprovadas. Como falei no início da resenha, quem estuda para concursos públicos em longo prazo e em curto prazo, precisa ter determinação, foco e não procrastinar, por isso solicitei o livro. Sou organizada, tenho determinação, mas em alguns momentos sofro com procrastinação e a preguiça. 

(...) Não existem limites para o que você pode conquistar quando aprende a priorizar suas tarefas e executá-las do modo mais eficaz. (...) 

Uma das passagens ficou marcada em que ele diz: A imagem mental que você cria de si exerce um efeito poderoso no seu comportamento. E isso me fez refletir, quando comecei o estudo para concurso eu não tinha a visão que tenho hoje, você deve enxergar em si aquilo que você quer ser, seja policial, médico, professor. Internalize, imagine e principalmente, faça. 

Mas Carol, o quê você achou do livro? Eu gostei do que li algumas coisas eu pratico outras foram de grande valia, reforçaram coisas que eu adquiri estudando para concursos e acompanhando coaches. Por exemplo, não montar planejamento muito mirabolante, muito elaborado. Faça algo simples, prático, claro, tendo objetivos e metas. Onde eu quero chegar, o que eu pretendo alcançar? 

Passe seus objetivos para o papel, eu tenho meus objetivos, mas não passei para o papel, nunca fiz isso, achava que só pensar era OK e o autor diz que é algo importante. Pois você internaliza, quando pensar em desistir ou parar você os relembra. Outro ponto de grande valia, planejamento. Planejar sua semana é de grande importância, você não se sentirá totalmente improdutivo. Ter em mente o que você precisa fazer pode lhe ajudar a cumprir suas metas. Adorei as frases de pensadores, estudiosos colocadas no início de cada capítulo. 

O negativo, algumas dicas são voltadas para administração, negócios, trabalho, então, se você fosse utilizar para estudo ou para melhorar seu blog, por exemplo, seria preciso realizar adaptações. Mas se formos analisar, essa é área abrangida pelo livro. Mas vale dá uma lida se você tem uma empresa ou quer começar um negócio, ele lhe ajudará a gerenciar seu tempo, suas escolhas e prioridades. Depois não é um livro extenso tem em torno de 100 páginas, eu lia por noite três capítulos antes de dormir. 




Recomendo para quem gosta de dicas, livro com leitura rápida, prática, que não queira perder tempo com enrolações. O autor é direto e sucinto. Uma ótima ferramenta para melhorar e desenvolver o hábito da produtividade.