Resenha: Jane Austen Roubou meu Namorado - Cora Harrison


Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Rocco Jovens Leitores
Baseado nos diários da escritora Jane Austen na adolescência, este divertido romance juvenil é uma história de aventura, mistério, fofocas e, claro, flertes e paixões. Uma das autoras mais queridas em todo o mundo, cujo bicentenário de morte ocorre este ano, Jane Austen (1775-1817) segue arrebanhando uma legião de fãs em pleno século XXI com romances nos quais retrata a sociedade inglesa de sua época com precisão e ironia. Em Jane Austen roubou meu namorado, a escritora irlandesa Cora Harrison recria, para os jovens de hoje, a atmosfera dos livros da própria Jane Austen mesclando ficção e dados reais, a partir dos diários da autora de Orgulho e preconceito. O livro retrata as peripécias amorosas da futura escritora, que já se considerava uma especialista em assuntos do coração, e de sua prima Jenny.

Lançamento de Indomável - S.C. Stephens


Oi gente!

Trago novidades! hehehehe
A Editora Valentina vai lançar Indomável, livro que se passa no universo da trilogia Rock Star - é com um personagem que somos apresentados lá, mas pode ser lido de forma independente, sem medo. O único spoiler que você vai saber é que as pessoas casaram e tiveram filhos.
Inclusive tem uma vibe bem diferente da trilogia...
Confira:

Resenha - Eu Fui a Melhor Amiga de Jane Austen - Cora Harrison


Ano: 2011 / Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Rocco
Chega ao Brasil o livro: "Eu fui a Melhor Amiga de Jane Austen" da autora Cora Harrison. A história tem o objetivo de introduzir os mais jovens ao empolgante mundo dos livros de Jane Austen. O livro traz uma combinação entre fatos históricos e ficção, apresentando a relação entre as adolescentes Jane Austen e sua prima Jenny Cooper.





Resenha - Os Mistérios de Sir Richard Kenworthy - Julia Quinn

Ano: 2017 / Páginas: 272
Idioma: Português
Editora: Arqueiro


Sir Richard Kenworthy Tem menos de um mês para encontrar uma esposa. Ele sabe que não pode ser muito exigente, mas quando vê Iris Smythe-Smith se escondendo atrás de seu violoncelo no musical anual das Smythe-Smith, Richard acha que conheceu alguém muito valiosa. Ela é o tipo de mulher que passa despercebida até a realização de um segundo ou terceiro olhar de outra forma. Mas há algo nela abaixo da superfície, algo quente e ele sabe que ela é única. Iris Smythe-Smith...Ela está acostumada a ser subestimada, com seu cabelo claro e tranquila, mas há uma personalidade astuta que ela tende a esconder, e ela gosta dessa forma. Então, quando Richard Kenworthy se aproxima com galanteios e flertes, parece suspeito. Dando a impressão de um homem que se rende ao amor, mas ela. não pode acreditar que tudo é verdade. Quando sua proposta de casamento se torna uma situação comprometedora obrigatória, você não pode deixar de pensar que há algo escondido por trás disso. . . mesmo que o seu coração diz sim



O livro mais suave da série Smythe-Smithe também o último.

Iris sabe que para um homem como Richard Kenworthy estar mostrando interesse nela tão repentinamente, algo por trás tem. Mas quando o galanteio e o flerte do jovem lorde começa a conquistá-la, Iris resolve ignorar aquela vozinha e sua mente e aproveitar, afinal não é todo dia que ela é cortejada por um belo homem.

Quando se vê em uma situação constrangedora e Iris se vê obrigada a se casar com Sir Richard, ela começa a desconfiar que desde o início tinha razão sobre as intenções dele, e quando o grande mistério de Sir Richard vem a tona, Iris vai precisar decidir o que fazer. Perdoar e entregar seu coração ou viver infeliz para sempre.

Considero esse o livro mais calmo de toda a série. Iris é uma personagem tranquila e simples, quase tediosa, entretanto, isso não interferiu em nada na leitura.



Iris e Richard te envolvem com toda a trama e o mistério, embora seja um casal sem química, daqueles que você lê, lê e lê, mas não consegue sentir nenhuma faísquinha saindo do livro, ainda assim você torce por eles.

Confesso que o tão monstruoso mistério de Richard me irritou um pouco, todo o pensamento dele e sua forma de ajeitar as coisas me deixou irritada e indignada por ele sequer pensar em algo do tipo (é realmente muito ruim quando você quer falar, mas não pode porque senão seria spoiler), mas depois que a história avança você compreende um pouco por que ele tomou medidas tão drásticas.

O romance entre ele e Iris começa de forma calma e natural, o que nos faz perceber quando o sentimento surge, mas mesmo assim achei sem sal, faltou algo mais.

Ainda assim, considero esse muito melhor do que A Soma de todos os beijos. Iris, pelo menos, não é nada egoísta, muito pelo contrário, é uma das personagens mais bondosas e justas da série.

Resenha - A Pequena Livraria dos Corações Solitários - Annie Darlin

Ano: 2017 / Páginas: 308
Idioma: Português
Editora: Verus

Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavinia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar. Enquanto Posy e os amigos lutam para salvar sua amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian, com quem começou a ter fantasias um tanto ardentes. Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, Posy vai conseguir o seu “felizes para sempre”. O primeiro livro da série A Livraria dos Corações Solitários!


Considerado um dos romances contemporâneos mais fofos na minha singela opinião, A Pequena Livraria dos Corações Solitários merece todo seu amor e atenção.

Posy Morland é uma jovem de 28 anos que perdeu os pais em um acidente de carro e ficou responsável pela criação do irmão mais novo, Sam, hoje com 15 anos. Os dois vivem no apartamento sobre a livraria Bookends, onde Posy passou boa parte de sua vida entre as estantes de seus romances favoritos. 

Quando Lavinia, a dona da livraria, morre, ela deixa para Posy a Bookends sob a condição de que se em dois anos ela tem que fazer a livraria voltar a ter lucro, caso contrário, ela perde a livraria para Sebastian, o odioso e mimado neto de Lavinia.

E é aí que toda a história começa. Posy começa a ter ideias sobre como transformar a Bookends numa livraria famosa e lucrativa, isso é, se Sebastian deixar ela trabalhar em paz, pois desde o falecimento de Lavinia, ele a perturba quase todos os dias tentando dar pitaco onde não é chamado.

Posy é aquela personagem que você se identifica de cara. Viciada em romances, principalmente os de época, você como leitor, se vê em Posy. Autoras e autores que todos nós amamos são constantemente citados ao longo do livro e isso me fez sentir a Posy. Pela primeira vez li um livro onde eu não apenas me simpatizei com a personagem, eu me senti a personagem.

Sebastian é aquele tipo de cara que você detesta, mas no fundo tem uma queda por ele. Mimado, egoísta, esnobe e até mesmo arrogante, a princípio você o detesta, até que começa a enxergar através daquela postura de homem frio de negócios e logo percebe que o mimado é apenas ele sendo cuidados, o egoísta é ele sendo ciumento e possessivo com relação a Posy e o esnobe é ele mostrando o quanto ele não consegue deixar Posy ou sair do seu lado.

Aos poucos, junto da Posy, você vai conhecendo um outro lado do Sebastian e é simplesmente impossível você não torcer para os dois. 

Repleto de sarcasmo, romance e quotes maravilhosos, esse livro é aquele que todo leitor de romance deve ler. É uma obrigação! Leia e você não vai se arrepender.

E a melhor parte é que esse é apenas o primeiro volume da Série A Livraria dos Corações Solitários. Ansiosa para o próximo!

                                                     

Resenha - A Soma de todos os beijos - Julia Quinn

Ano: 2017 / Páginas: 272
Idioma: Português
Editora: Arqueiro

Lorde Hugh Prentice é um gênio da matemática e teve sua perna (e sua vida) arruinada por causa de um duelo com seu amigo, Daniel Smythe-Smith.
Nesse livro, conheceremos um pouco da história de Hugh, antes e depois do acontecido. Sua família, o desespero de seu pai para conseguir que um de seus filhos lhe desse um herdeiro, visto que um não é chegado à mulheres e o outro, provavelmente terá dificuldades em encontrar uma esposa, e principalmente em ter filhos.
E, claro, sua relação de amor e ódio com Sarah Pleinsworth, prima mais velha de Daniel, que mesmo antes de conhecê-lo, já odiava Hugh por ter arruinado sua família através desse duelo.
Mas, as coisas começam a mudar quando Honoria, sua prima, pede para Hugh substituir seu padrinho no casamento e para Sarah ser sua acompanhante durante sua estadia, para que ele ficasse mais confortável diante dos familiares de Daniel. E esse tempo se prolonga, já que Daniel se casará duas semanas depois da irmã e resolve torná-los uma única festa...
É claro que eles não se dão no início, mas com o tempo, ainda mais depois do primeiro casamento, quando ela fica impossibilitada de andar, eles deixam as diferenças de lado e começam a se conhecer realmente, e, o que era ódio, acaba se tornando uma paixão avassaladora.
Mas as limitações de Hugh vão ser apenas um dos problemas que o casal enfrentará pelo caminho...


Hugh Prentice é um matemático que gosta das coisas claras e objetivas como uma boa matemática, isto é, até o dia em que bebeu demais e acabou desafiando seu amigo a um duelo, no qual o deixou com uma perna aleijada, um amigo banido de Londres e da Inglaterra e a reprovação da sociedade. Não que ele se importe com a opinião da sociedade londrina, principalmente da lady Sarah Pleinsworth, conhecida por seu jeito melodramático e sem filtro.



Sarah tem uma opinião para tudo e não esconde o seu desagrado para com Hugh Prentice, afinal ele arruinou a vida dela tanto quanto a de seu primo.

Obrigados a passarem uma semana juntos, Hugh e Sarah percebem que talvez as primeiras impressões às vezes não são bem as certas.

Com toda a sinceridade do meu coração, considero esse o livro que tinha tudo pra ser o melhor, mas foi o pior da série. Tudo por causa de sua protagonista extremamente esnobe e egoísta.

Simplesmente não consegui sentir empatia alguma para com a personagem e isso não veio apenas desse livro, começou lá no primeiro livro da série. O que é uma pena porque Hugh é um personagem que eu adorei desde a primeira aparição dele e eu estava realmente feliz e animada de ler um livro dele, uma pena que a parceira dele não seja nenhum pouco digna dele. Paciência.

A trama do livro em si não é de todo ruim, embora tenha um desfecho muito simples e sem grandes emoções o que me frustrou, devo acrescentar. Esperava algo mais nesse final e algum tipo de reviravolta como tivemos em Uma Noite Inesquecível.

No todo, é um livro que a gente lê porque é Julia Quinn, né? E não podemos ler a série Smythe-Smith sem ler o terceiro. Mas eu não leria esse livro uma segunda vez.



Resenha - Meus dias com você - Clare Swatman

Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta? Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho. Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira? Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade. A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.

Meus dias com você conta a história de Zoe, que acaba de perder seu marido Ed, que morreu de forma brusca e sem dar tempo a Zoe de se despedir. Dois meses se passam e Zoe decide cuidar do jardim do marido, mas acaba passando mal e desmaiando. Quando acorda, ela esta de volta a 1993, o dia em que conheceu Ed e terá uma nova oportunidade de fazer tudo diferente. 

Zoe e Ed começam o livro como um casal que perdeu a química e vive em uma constante crise no casamento. Quando Zoe volta no tempo nós vamos conhecendo a história do casal e descobrindo como as coisas chegaram ao ponto de levar o casamento deles a uma crise sem fim. 

Eu gostei bastante da Zoe e entendi todas as suas atitudes, entendi perfeitamente os motivos que levou o casal a crise, é algo que você meio que não controla sabe? Não acho que a crise chegou por culpa dos dois, simplesmente foi a vida. 



Sabe essas coisas que vão acontecendo na vida e você não sabe bem como consertar. Ainda que ela tenha chance de mudar alguma coisa, tem coisas que simplesmente você não consegue controlar, além de ser muito doloroso. Senti todas as dores da Zoe e do Ed, os dois formam um casal que se completam, perfeitos um para o outro e foi muito triste ver o relacionamento deles ir se desfazendo. 

A narrativa da Clare é sensacional, peguei o livro apenas para ler algumas páginas e matar um tempo e quando eu vi, estava agarrada a história de Zoe e Ed, ávida por mais páginas e desesperada pelo final. Uma narrativa deliciosa e muito envolvente, atrelada a uma história linda e muito tocante. 

Todo dia em que acorda, Zoe esta em uma data diferente do seu passado, essas datas sempre fazem referência a uma data marcante, em que algo importante aconteceu, então Zoe sempre acorda tentando descobrir que dia é. É maravilhoso acompanhar tudo isso com ela. 

Chorei com o final, foi mais ou menos o que eu estava esperando, só que poderia ter sido um pouquinho mais extenso, fiquei me sentindo um pouco órfã. 

Para sem bem sincera, acho que me faltam palavras para descrever o quanto esse livro foi uma surpresa maravilhosa. A capa é muito linda e tem tudo a ver com a beleza do enredo. A revisão ficou impecável e a diagramação bem confortável. 

Meus dias com você é um romance profundo, surpreendente, alegre e ao mesmo tempo doloroso. Eu só desejo que você se apaixone por Zoe e Ed como eu, desejo que você se envolva na história e se deixe conquistar por esses personagens tão especiais. 


Lançamentos: Editora ROCCO


Oi pessoal!!!
E começamos o mês de agosto heim?!
Mês de Bienal neh? *chora porque não vou 😢😢*
Então, vamos começar a fazer a listinha de livros para comprar lá? hehehehehe
Confiram os lançamentos da Editora ROCCO e seus selos:

Guia da bienal - Dicas de sobrevivência

Oi gente!

A bienal tá chegando e sei que muitos de vocês devem ir. Talvez vocês já sejam veteranos no evento, mas sempre tem algum amigo que nunca foi e por isso eu estou aqui para deixar algumas dicas essenciais para tornar o seu dia mais agradável.


1 - Imprima o mapa da bienal.




A Bienal sempre disponibiliza um mapa da organização dos estandes e acho isso muito útil para você definir previamente quais quer visitar e depois não ficar perdido por lá. A bienal é enorme e as vezes não dá tempo de conhecer tudo em um dia só, também é útil para você localizar onde fica os sanitários, a praça de alimentação e etc. Isso irá deixar a sua visita muito mais produtiva. 

2 - Ingressos


Compre os ingressos antecipadamente, na hora a fila é muito grande, rola uma super confusão e complica ainda mais a sua entrada. Além disso, a compra antecipada é essencial se você esta indo com o objetivo de ir em alguma sessão de autógrafo. A bienal do rio resolver manter a distribuição de senha presencial, então sinto muito dar a notícia que você terá que chegar super cedo e ter ingresso em mãos já adianta super. 

Link de compra: https://www.bienaldolivro.com.br/ingressos.php

3 - Vá de Tênis



Gente, pelo amor de Deus!!!! Vá de tênis, não inventa de ir de rasteirinha, de chinelo, de sapatilha ou sei lá o que. Vá de tênis, é o único modo de sobreviver a um dia inteiro de andanças e eventos. Isso eu digo por experiência própria. 


4 - Leve uma mochila



Leve uma mochila para carregar suas comprinhas e também para levar lanches. Tudo na bienal custa muito caro, se eu me recordo bem uma porção de batata frita pequena era tipo R$15,00, um hambúrguer com refri era tipo R$30,00, então se você esta com a grana curta, leve o seu lanche e uma garrafinha de água, lá costuma ter bebedor pra você recarregar. 



5 - Não leve só cartão. 

Além de levar cartão, procure levar um pouco de dinheiro em espécie. As vezes o momento na feira é tão grande que a rede de cartão sai fora do ar, isso sem falar na fila do caixa eletrônico. Alguns expositores também não possuem máquina de cartão. Então porque não facilitar né?

6 - Transporte

Procure saber qual o meio de transporte público vai te atender melhor na hora de chegar na bienal, o BRT já passa por lá, então tudo vai ficar muito mais fácil. Se você for de carro, fique tranquilo pois o local possui estacionamento. 


Acho que é isso gente! Ao longo desse mês ainda vou liberar uma listinha de indicações de livros para você adquirir na bienal e umas dicas de como se comportar nos eventos literários ( será um post irônico, obviamente, mas é com base em uma penca de coisas sem noção que eu presenciei nos meus anos de bienal)




Resenha - Fortaleza Impossível - Jason Rekulak


Ano: 2017 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Um trio de garotos esquisitos e uma nerd brilhante que esconde um grande segredo. Um inesperado romance que nasce em meio a computadores e disquetes. Um ousado e perigoso assalto para roubar a edição de maio de 1987 da revista Playboy, com imagens escandalosas de uma famosa apresentadora de TV. Até maio de 1987, Billy Marvin – um garoto de 14 anos que mora numa pequena cidade em Nova Jersey – é definitivamente um nerd feliz. Ele e seus amigos inseparáveis, Alf e Clark, passam as noites se empanturrando de biscoitos e milk-shakes diante da TV, assistindo a filmes e conversando sobre música, cinema e seriados. Com a mãe trabalhando no horário noturno e a casa toda para si, Billy vara a madrugada fazendo aquilo que mais ama: programando videogames em seu computador. Mas então a Playboy publica as fotos escandalosas de Vanna White, a famosa apresentadora de TV por quem os três são fascinados. Como ainda não são maiores de idade para comprar a revista, eles planejam um ousado assalto para roubá-la. É quando Billy conhece a brilhante, enigmática e também nerd Mary Zelinsky, e tudo começa a mudar.

Fortaleza Impossível conta a história de Billy Marvin, um pequeno nerd de 14 anos. Ele e seus melhores amigos Alf e Clark estão sempre juntos comendo guloseimas, assistindo o mesmo filme e conversando sobre músicas e filmes. A mãe de Billy trabalha de madrugada e como ele sempre fica sozinho, o garoto vira as noites programando jogos de videogame em seu computador.

A vida dos três adolescentes começa a mudar quando a Playboy publica a edição da Vanna White, uma famosa apresentadora de TV. Como os meninos são menores de 18 anos, não possuem autorização para comprar e então decidem bolar um plano para conseguir botar as mãos na famosa revista. Em meio a criação desse plano Biily conhece Mary Zelinsky, igualmente nerd e programadora de videogames. 

Uma aventura juvenil que relembra as glórias da década de oitenta. Eu não nasci nessa época, mas meu irmão sim e por tudo o que ele fala eu tenho certeza que era uma época gloriosa e que deixou muitas memórias. Foi uma prazer ter uma percepção melhor de como tudo funcionava na época, um deslumbre dos costumes e do avanço tecnológico. 



O livro é bem juvenil, então não espere comportamentos maduros. O enredo gira basicamente em torno dos amigos criando planos e mais planos para ter acesso a revista da Vanna White e na amizade entre Billy e Mary. 

A narrativa do Jason Rekulak é maravilhosa, e eu que não me considero uma fã do gênero, consegui terminar a leitura em um tempo recorde, foi uma leitura muito deliciosa e preciosa. Fui perfeitamente inserida em 1987 e me peguei curiosa em descobrir mais coisas da época. O livro tem muitas menções a músicas e filmes, o que eu achei muito legal. Biily, Alf e Clark são os típicos adolescentes de 80 e eu me diverti muito com eles. 

Mary foi uma personagem surpreendente, aos poucos ela foi me conquistando e no final se tornou minha personagem preferida do livro. Eu entendi todo o sentimentalismo que ele carregava e o final foi incrível, fiquei chocada com a reviravolta criada pelo autor. 

Esse não é um livro apenas sobre jogos, não espere encontrar isso. Acho que Fortaleza Impossível é, acima de tudo, um livro sobre amizade, amor e amadurecimento. É um livro que remonta a década de 80, então se você nasceu por aí, vai se sentir bem saudoso. É um enredo juvenil, tenham isso em mente, as atitudes dos personagens podem lhe parecer idiotas ou bobas, mas lembre-se que eles são adolescentes e que jovens são exatamente assim, imprudentes e as vezes irracionais. 

Enfim, gostei dos personagens e da ambientação do enredo, mas principalmente amei a narrativa que prende o leitor do começo ao fim, assim como amei a reviravolta no final do livro. Recomendo muito para quem adora uma aventura juvenil e também para quem morre de saudade dos anos 80/90. 

Eu tive acesso a prova do livro, portanto não li a versão final, mas já posso dizer que a diagramação proposta esta incrível e todo capítulo se inicia com referências a programação. A capa é maneira e não faz referência ao enredo em si, mas ao jogo criado por Billy e Mary. 





Resenha - A Ordem dos Clarividentes - Samantha Shannon


Ano: 2017 / Páginas: 400
Idioma: português
Editora: Fantástica Rocco

No segundo volume da série Bone Season, uma fantasia distópica com toques paranormais, Paige Mahoney escapou da colônia penal Sheol I e é a pessoa mais procurada de Londres. Ela é uma andarilha onírica, um dos tipos mais raros de videntes, que são uma realidade na Inglaterra em 2059, mas nem por isso deixam de ser marginalizados e perseguidos pela sociedade. Com a comunidade clarividente dividida por segredos obscuros e ameaçada pelos Rephaim, Paige deve seguir em frente, até que o destino de Scion, e o seu próprio, seja decidido.



Na Londres de 2059 qualquer pessoa que tenha o dom da clarividência é perseguida pelo governo e com Paige Mahoney, uma andarilha onírica, não foi diferente. Paige foi caçada e levada para a colônia penal de Sheol I. Após inúmeros acontecimentos, finalmente ela consegue escapar, só que agora ela é a pessoa mais procurada de Londres. 

Durante o tempo em que Paige passou Sheol, ela descobriu o que acontece com os desnaturais capturados pelo governo, eles se tornam escravos dos Rephaim, e o grande objetivo de Paige é relatar aos desnaturais tudo o que descobriu, mas Nashira, a líder dos Rephaim, quer trazer Paige de volta e impedir que ela espalhe a informação que obteve e abafar uma possível revolta.



A ordem dos clarividentes começa exatamente onde o livro anterior terminou, contudo não teve um início tão fluido como o primeiro livro. Custei a me envolver com a leitura, só comecei a me interessar pelo enredo quando chegou na metade do livro. 

O enredo de Samantha Shannon é bem descritivo e eu até gosto de livros bem detalhistas, mas acredito que ela tenha exagerado um pouco nesse livro. Era tanto detalhe que eu já estava ficando impaciente e com vontade de fazer uma leitura dinâmica.

Depois da metade do livro o negócio começou a me interessar viu? eu fiquei num nervoso pra descobrir logo as coisas que não consegui parar de ler. O livro é uma mistura de distopia com fantasia e adorei que o foco é a distopia e não romance. 

Adorei poder conhecer mais do ambiente da Londres de 2059 que Samantha criou, o primeiro livro foi bem focado na colonia penal em que Paige estava e não tivesse uma visão do que Samantha poderia ter imaginado para Londres, adorei a descrição do ambiente, já se vê o capricho que a autora teve em criar algo bem feito e muito original. Aliás o livro como um todo é muito original, todos os personagens, os seres místicos, tudo muito bem elaborado pela autora. 



A narrativa é feita em primeira pessoa, pela Paige que se mantém uma personagem incrível e conseguiu evoluir ainda mais nesse livro, ela é uma revolucionária nata e eu tinha certeza que ela não iria me decepcionar. 

Sobre o casal? Um romance proibido e sem futuro, mas admito que passei a shipar. 

Em suma, o livro começou de maneira arrastada mas a segunda metade do livro fez tudo valer a pena. Um livro repleto de ação, que me deixou tensa e muito ansiosa. Fiquei louca com tudo o que aconteceu e mal posso esperar pelo terceiro livro. Sem dúvida alguma essa série conquistou o meu coração e quero recomendar pra todo mundo. 

A capa mantém o padrão da primeira e sinceramente é infinitamente mais bonita que a capa estrangeira. Revisão e diagramação impecável. 




Lançamentos: Editora Arqueiro


Oi pessoal!!!

Neste mês, a Editora Arqueiro tem poucos lançamentos, mas todos maravilhosos! Bora conferir?

Resenha - O Último Adeus - Abbi Glines

Ano: 2017 / Páginas: 224
Idioma: português
Editora: Arqueiro

River Kipling, mais conhecido como Capitão, está em Rosemary Beach para montar um restaurante de luxo para seu patrão. Dono de um passado sórdido e de um presente misterioso, ele não vê a hora de concluir o trabalho e ir embora da cidade para realizar seu sonho: abrir um negócio próprio à beira-mar num lugar onde ninguém tenha ouvido falar dele. Mas, quando Capitão conhece Rose Henderson, sua ânsia de partir de repente fica em segundo plano. Há algo na risada dela que é familiar demais, e o modo como ela olha para ele o faz lembrar de alguém importante que perdeu há muito tempo. No entanto, a única coisa que Rose revela é que é uma mãe solteira que trabalha duro para sustentar a filha. Enquanto tenta desvendar os segredos da linda ruiva de óculos engraçadinhos e curvas estonteantes e entender por que ela mexe tanto com seus sentimentos, Capitão precisa fugir da marcação cerrada de Elle, a ex-namorada que não mede esforços para afastá-lo de Rose. Ao mesmo tempo, tem que encarar os fantasmas de seu passado para se tornar um homem melhor e construir um futuro do qual possa se orgulhar. Nesta sequência da série Rosemary Beach, Abbi Glines mais uma vez escreve uma narrativa ardente e emocionante. Com personagens verossímeis e heróis imperfeitos, O último adeus fala sobre o inesgotável poder de transformação do amor.

 O último adeus conta a história de River Kipling, o Capitão, irmão da Blaire. Capitão esta em Rosemary Beach para montar um restaurante de luxo para seu patrão. Capitão contrata Rose Henderson como uma das garçonetes, tudo o que ele sabe sobre ela é que ela é uma mãe solteira que trabalha para sustentar a filha. Mas Rose relembra um passado que Capitão tenta há anos esquecer.

Talvez muita gente não concorde comigo, mas amei tanto esse livro que achei o melhor da série. Amei a história do casal, me emocionei muito com tudo o que aconteceu, sem dúvidas é um dos melhores casais dessa enorme série. Fiquei suspirando com as cenas do passado de River e me deliciando com as maravilhas do presente. 

Esse livro só mostra o quando Abbi é criativa e como ela sempre cria enredos originais, como pode uma série com uma penca de livros, sempre nos mostrar enredos tão únicos e personagens tão diferentes uns dos outros. É engraçado como cada casal tem uma personalidade tão específica. 

O livro tem uma leitura muito rápida, assim como todos os anteriores, Abbi é muito habilidosa em conduzir o leitor durante todo o enredo, é quase impossível abandonar a leitura. Comecei a ler na hora de dormir, pretendia ler apenas algumas páginas, mas fiquei tão envolvida que acabei só indo dormir quando terminei de ler. 



Eu já gostava do Capitão desde quando ele apareceu e conhecer o passado dele só me fez ficar ainda mais encantada com o personagem e ter a devida certeza que ele é o melhor personagem da série. Foi doloroso ver como ele sofreu com tudo.

Rose é uma mulher muito forte e compreendi todas as decisões que ela teve que tomar, as vezes a vida não é fácil e ela pensou que estivesse fazendo o melhor para aqueles que ama. 

Alguns personagens anteriores fazem pequenas aparições e adoro quando isso acontece, dá pra matar a saudade dos nossos queridinhos. 

O único ruim do livro é que o enredo é curto demais, a história é tão boa que eu queria um livro mais extenso ou uma continuação. Ai gente! To muito órfã desse livro, sinceramente. Nem sei o que vou pegar pra ler agora. 

Se você nunca leu Rosemary Beach e não liga de pegar spoiler sobre os casais anteriores, e ta com preguiça de ler todos os anteriores, leia pelo menos esse livro. Sério mesmo!

A capa do livro mantém o padrão da série, revisão e diagramação impecáveis como sempre.