Resenha - Vulgo Grace - Margaret Atwood

Ano: 2017 / Páginas: 496
Idioma: português
Editora: Rocco

Depois de O conto da aia, que deu origem à prestigiada série The handmaid’s tale e alcançou o status de bestseller mais de 30 anos após a publicação original, outro romance de Margaret Atwood vai ganhar as telas, desta vez pela Netflix, e volta às prateleiras com nova capa pela Rocco. Inspirado num caso real, Vulgo Grace conta a trajetória de Grace Marks, uma criada condenada à prisão perpétua por ter ajudado a assassinar o patrão e a governanta da casa onde trabalhava, na Toronto do século XIX. Com uma narrativa repleta de sutilezas que revelam um pouco da personalidade e do passado da personagem, estimulando o leitor a formar sua própria opinião sobre ela, Atwood guarda as respostas definitivas para o fim. Afinal, o que teria levado Grace Marks a cometer o crime? Ou será que ela estaria sendo vitima de uma injustiça?
 Em Vulgo Grace, Margaret Atwood nos leva ao Canadá do século XIX e conhecemos Grace Marks, uma criada condenada à prisão perpétua por ter ajudado James McDermott a assassinar o patrão Thomas Kinnear e a governanta da casa onde eles trabalhavam Nancy Montgomery. 

Grace tinha apenas 16 anos quando foi acusada de cometer o crime e agora que muitos anos se passaram, ela pode ter a chance de se ver livre. Grace passou anos entre o manicômio e a penitenciária, mas sua personalidade dócil permitiu que ela passasse alguns dias trabalhando como criada nada casa do governador do presídio. Por isso,  ela acabou ganhando o prestígio de um grupo da alta sociedade que resolveu chamar o médico especialista em doenças mentais Simon Jordan, para tentar ajudar no caso de Grace. 

Dr. Jordan agora vai mergulhar na mente de Grace Marks para descobrir o que a levou a cometer esse terrível crime ou se por acaso ela foi vítima de alguma injustiça. 



Não li o livro O conto de Aia, mas assisti a série baseada no livro e fiquei apaixonada pelo enredo criado pela Margaret Atwood. Quando vi que a netflix iria lançar uma série baseada em Vulgo Grace, eu logo quis pegar o livro pra ler. Gostei tanto da série quanto do livro. Margaret tem um talento incrível para prender o leitor ao enredo. 

A história desse livro é baseada em um caso verídico que aconteceu no Canadá mesmo. O livro tem pontos de vistas diferentes e por isso é necessário que se preste bastante atenção a leitura. Grace relata sua história em primeira pessoa, em contrapartida a visão do Dr. Jordan é feita em terceira pessoa, o que nos deixa ter uma visão melhor do que esta se passando na mente do médico. 

O mais interessante nesse livro é como ele apesar de passar em séculos passados, parece tão atual. O enredo foi muito bem escrito, porém muitas perguntas não foram respondidas e confesso que fiquei um pouco decepcionada com o final do livro, mas nada que apague a genialidade da obra no geral. 

A história de Grace é muito sedutora ao leitor, você começa a se envolver pela história da personagem e quando menos percebe já está apegada a Grace e querendo decifrar seus segredos, ela teve uma vida muito sofrida e você tenta entender os motivos que a levaram a cometer o crime ou o que levou ela a levar a culpa por tudo. 

Gostei do rumo que as coisas tomaram, mas ainda faltou aquele capítulo extra sabe? pra responder algumas outras coisas. 

A série é muito fiel ao livro, muito mesmo. Vale a pena conferir os dois. Agora estou ansiosa para ler o livro O conto de Aia. 



3 comentários

  1. Tanto Vulgo Grace quanto O conto da Aia estão na minha lista de leituras de 2018, não resisti e já assisti a série, o que aguçou ainda mais minha vontade de conhecer melhor essa autora e suas histórias.

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ser muito bom. Estou super curiosa para ler. Espero amar 😍
    Amei a resenha. Beijos ❤

    ResponderExcluir

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D