Resenha - O melhor que podíamos fazer - Thi Bui

25 de janeiro de 2018

Ano: 2017 / Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Nemo

Esta é uma história sobre a busca por um futuro melhor e saudosismo pelo passado. Explorando a angústia da imigração e os efeitos duradouros que o deslocamento tem sobre uma criança, Bui documenta a difícil fuga de sua família após a queda do Vietnã do Sul, na década de 1970, e as dificuldades que enfrentaram para construir uma nova realidade. O melhor que podíamos fazer traz à vida a jornada de Thi Bui em busca de compreensão e fornece inspiração a todos aqueles que anseiam por um futuro melhor enquanto recordam o passado de privações.





Em novembro de 2005 Thi Bui entrava em trabalho de parto,  exposta e uma trabalho de parto nada humanizado, ela já começa a perceber as dificuldades de ser mãe. Ela pouco sabe sobre o que é ser mãe, mas  só de pensar no amor tão grande que já sente pelo filho recém-nascido ela começa a refletir sobre os sacrifícios que seus pais fizeram pela família. 



A partir desse momento, Thi Bui começa a contar a história da sua família, vietnamitas que imigraram para os Estados Unidos, fugindo da Guerra do Vietnã, após a queda do Vietnã do Sul, na década de 70, as dificuldades que eles enfrentaram para recomeçar em um lugar completamente desconhecido. 

O melhor que podíamos fazer é uma graphic novel, um livro de memórias gráficas da própria autora. Sim, é uma história real e tão saudosa. Esse livro parece ser uma forma que Thi Bui encontrou para tentar entender as origens de sua família.

O enredo é intercalado entre o passado e o presente, e a autora vai perpassando a história de sua família, sua mãe, seu pai, nos conta um pouco sobre a guerra do Vietnã e tudo isso permite que o leitor se aproxime muito da história e sofra junto com os personagens. 

Amei ver a afinidade que existe entre Thi e sua família, o sentimento de força e determinação que sempre paira no ar. Thi mostra que nem toda família é perfeita, mas que tudo sempre se ajeita. A autora consegue abordar toda a história com muita delicadeza e sensibilidade, tenho certeza que sua família ficou muito orgulhosa do resultado.



O livro conta uma história da década de 70, mas ao mesmo tempo parece tão atual, em face dos refugiados da Síria, foi impossível não assemelhar as duas coisas e a mensagem passada pela autora se torna tão primordial. 

 A edição gráfica é simplesmente incrível, fiquei tão apaixonada pelos detalhes e isso só me fez ficar ainda mais imersa nesse enredo emocionante e que me arrancou boas lágrimas. Esse livro mexeu completamente com minhas estruturas, uma história de deixar o coração bem apertado e com as emoções a flor da pele. 

Acredito que esse livro não é uma questão de ser recomendável para quem gosta de HQ ou não. O melhor que podíamos fazer é praticamente uma leitura obrigatória. Um livro muito comovente e que eu tenho certeza que irá conquistar qualquer leitor. 






5 Blogger
Facebook

5 comentários

  1. Gosto muito de livros com esse enredo, nos fazem parar e refletir algumas situações.Anotado na minha lista.

    ResponderExcluir
  2. Interessante o livro, ❤❤❤❤muito boa a resenha 😍😍👏👏👏

    ResponderExcluir
  3. Parece ser bem interessante ainda mais com toda essa carga q ele deve ter

    ResponderExcluir
  4. Nossa pela capa teria me passado batido. Por isso amo acompamha suas resenhas ,nem imaginava que era uma graphic novel ,e que nem por isso tira o peso de uma estória bem real , já super anotado ,quero muito conhecer a estória de Thi e me emocionar também!! Adorei ,melhor resenha de todas

    ResponderExcluir

Olá, agradeço pela sua visita. Deixe seu cometário também :D